“90% do Turismo do Centro é psicologia”

Folha do Centro - Autarca oliveirense preocupado com crise na restauração

Vereador oliveirense não poupa críticas à Entidade presidida por Pedro Machado.

O vice presidente da Câmara de Oliveira do Hospital e vereador com a “pasta” do turismo, José Rolo, acusou a Entidade Regional de Turismo do Centro de uma grande “desatenção” em relação aos destinos turísticos de Interior, como é o caso do concelho de Oliveira, considerando que 90% da ação deste organismo é “psicologia”. “O que verificamos é que há muita simpatia, muita cortesia e muitos convites da parte do senhor presidente do Turismo do Centro, mas continuam a faltar os apoios a eventos que o próprio Turismo do Centro reconhece como sendo eventos importantes”, afirmou o vereador, durante a reunião pública do executivo, a propósito das declarações do vereador do PSD, Mário Alves, sobre a extinção do Polo Turístico da Serra da Estrela. E se Alves fez questão de registar para “memória futura” que afinal o destino deste polo turístico só vem dar razão aquilo que defendeu, isto é, de que Oliveira devia sair da Serra da Estrela para integrar a Região de Turismo do Centro, como aconteceu ainda no seu mandato, José Francisco fez ver, por seu lado, que o facto de Oliveira estar no Centro de Portugal também não trouxe nenhuma mais valia para o concelho. A prova disso, segundo o vereador, são as duas reuniões agendadas com os técnicos da Entidade Regional de Turismo para tratar de “questões sérias”, e as duas terem sido adiadas, sem que tivesse existido até agora uma resposta por parte daquele organismo.
A situação mais gritante, segundo Rolo, é a requalificação dos interiores do posto de turismo de Oliveira, que apesar de ter sido prometida em 2009, “continua sem ser uma realidade”. Isto apesar de “já ter ido a outros concelhos e ver postos de turismo requalificados com modernas instalações e equipamentos”, refere o autarca, lamentando ainda a falta de resposta para a elaboração do roteiro turístico do concelho. José Francisco entende, por isso, que a integração de Oliveira nesta região de turismo não trouxe benefícios, uma vez que continua a ser o Município e os seus serviços a assumir-se como o principal promotor turístico do concelho. “O Turismo do Centro tem de começar a olhar para o território para lá de Coimbra até à Serra da Estrela” porque “aqui também há um grande capital a explorar e a rentabilizar”, considera o vereador,dando como exemplo a Rede Aldeias de Xisto que ainda recentemente foi apresentada em Bruxelas, como um “case study” a nível da promoção turística em espaço rural.
No Turismo do Centro “o que levamos sempre é boas palavras do seu presidente, porque em termos concretos nada”, acrescentou ainda o presidente da Câmara Municipal, José Carlos Alexandrino, que, não esconde, chegou a falar com o primeiro ministro para mudar para a Serra da Estrela.
A título de “fait diver”, Mário Alves trouxe o tema à liça, concluindo que, apesar de ter sido alvo de uma “campanha colossal”quando defendeu a integração do Município na nova entidade de turismo do Centro, sabe-se agora que “os pólos vão à vida” e “bem”, no seu entender, pois “só serviam para defender uns tachos”.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.