Será que Meda (Lourosa) e Medas (Arganil) significam, montão (de escorias) ou terão origem em medulas (miolo), da terra?

Francisco Antunes
Francisco Antunes

Ensina o Professor Jorge Alarcão que os topónimos – Covas, Covelo, Cova (Vila), Braçal, (braços) indicam atividade mineira e …Bobadela a importantíssima civitas romana que centralizava toda a atividade mineira do Alva e região, placa giratória, centro viário de nomeada…será por acaso que junto à civitas de localiza Covas? E Negrelos? E Marragatos junto a Gavinhos de Cima?

Só se ama aquilo que se conhece!

Na visita à Beira-Serra um viajante interessado poderá recordar a História dos povos que durante séculos nos contactaram (Península Ibérica) e aqui deixaram marcas indeléveis. Refiro-me, entre outros Fenícios e Gregos, povos de navegantes que fundeavam na foz dos rios e movidos pelo interesse e curiosidade subiam os mesmos na procura de eventuais riquezas. Tudo se passou antes da chegada dos Romanos, o que aconteceu no Séc. III antes da era Cristã.

Eram Romanos um povo civilizado detentor de técnicas e ciências admiráveis. Impuseram leis, construíram estradas, pontes, aquedutos, exploraram minérios…escusado será dizer que vieram para explorar as riquezas do território: ouro, prata, estanho, cobre, madeiras, vinho, azeite, conservas de peixe, etc, etc.

Valia a pena o “sacrifício”!!!

Assim aconteceu e estamos a vê-los na bacia do Alva a explorar areias e terras na procura do ouro e da prata. De tal modo foi rentável o trabalho que eles mantinham na Lomba do Canho (Arganil) um forte destacamento militar para afugentar ladrões (garimpeiros) e vigiar a cobrança de impostos.

Permitam-me um breve intervalo para uma curiosa informação: tem a Galiza um precioso legado romano – as minas de Las Medulas hoje classificadas como Património da Humanidade! Situam-se perto de Ponteferrada um território barrento como temos nas margens do Alva e do Alvoco. Calcula-se que durante toda a ocupação romana da Hispânia, dali tenham saído mil e quinhentas toneladas de ouro e prata – oito séculos!!! Todo o trabalho era feito por escravos, ou mouros de pequena estatura ou até negros pigmeus do centro de África…era-lhes mais barato e mais rápido escavar galerias de metro e meio do que escavar minas com metro e setenta! Aos mouros, chamavam-nos “moragatos”, ainda hoje os seus descendentes habitam uma conhecida e muito visitada zona limítrofe, a Magateria, interessantes povoados de indivíduos realmente muito baixos. Não esqueçamos que decorreram dezasseis séculos sobre a antiga atividade. A aristocracia romana não gostava que os escravos residissem perto das suas mansões ou explorações.

E mais uma vez a toponímia da nossa Beira-Serra nos dá preciosa ajuda na História.

Ensina o Professor Jorge Alarcão, que citamos uma vez mais, que os topónimos – Covas, Covelo, Cova (Vila), Braçal, (braços) indicam atividade mineira e …Bobadela a importantíssima civitas romana que centralizava toda a atividade mineira do Alva e região, placa giratória, centro viário de nomeada…será por acaso que junto à civitas de localiza Covas? E Negrelos? E Marragatos junto a Gavinhos de Cima?

Mas…olhem só: ainda hoje aos habitantes do baixo Sado – Alcácer, Torrão, lhes chamam Carapinhas – descendentes dos escravos que trabalhavam nos arrozais por serem mais resistentes ao paludismo. Perto de Montemor-o-Velho, onde sempre se cultivou o arroz está a povoação de Carapinheira!!! E não muito longe da Bobadela, já no Concelho de Tábua existe a povoação de Carapinha!!! E continuando a “brincar” ao acaso, será que Meda (Lourosa) e Medas (Arganil) significam, montão (de escorias) ou terão origem em medulas (miolo), da terra?

Senhor viajante: bebamos uma saborosa carapinhada à saúde de tanto avoengo!

Boa viagem!

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.