A3ES “chumba” curso de Energia e Sustentabilidade para ESTGOH

Folha do Centro - A3ES “chumba” curso de Energia e Sustentabilidade para ESTGOH

Agência de Acreditação do Ensino Superior reprova licenciatura na área das energias renováveis, mas aprova novo curso de Desenvolvimento e Ordenamento do Território.

A Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital viu reprovada a candidatura apresentada em parceria com a BLC3 para abertura do novo curso na área das energias renováveis e sustentabilidade, já no próximo ano letivo. A decisão é da Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior – A3ES – que no caso da ESTGOH “tira com uma mão”, para “dar com outra”, já que entretanto, a mesma entidade acaba de aprovara licenciatura em “Desenvolvimento e Ordenamento do Território” para Oliveira do Hospital.
Recorde-se que estes dois cursos tinham sido propostos na sequência de algum “esvaziamento” sentido na ESTGOH, provocado pelo encerramento dos cursos de Engenharia Civil e GIKAS (Gestão Integrada de Qualidade, Ambiente e Segurança) e a necessidade, reconhecida pela atual presidência do IPC, de renovar e adaptar ao contexto da região, a oferta formativa desta escola superior. O facto da ESTGOH se ter aliado à BLC3 na apresentação de uma nova licenciatura,numa área considerada estratégica,como as energias renováveis,estava por isso a criar algumas expectativas, sobretudo a uma escola do Interior que se estaria a apostar em áreas de formação com maior capacidade de atração de alunos.
O projeto “âncora” da BLC3 na área dos biocombustíveis ligados à agricultura e aos resíduos florestais, foi assumido como uma das apostas da escola e do próprio Politécnico de Coimbra no sentido de alterar a oferta formativa e deixar cair os chamados cursos de “lápis e papel”, cuja oferta nas instituições de ensino superior há muito ultrapassou a procura. Inesperadamente, a A3ES acaba por aprovar para a ESTGOH uma licenciatura numa área menos “inovadora”, e com taxas de “ocupação” pouco significativas o que levou a que cursos similares já tenham mesmo encerrado em prestigiadas universidades como a Universidade de Aveiro.
Nesta altura, a Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital funciona apenas com três licenciaturas, quando já teve cinco, registando o número mais baixo de alunos e de cursos dos últimos anos, ronda atualmente os 250 alunos quando já atingiu cerca de 600. Ao mesmo tempo, a escola deixou também de ter CET’s – Cursos de Especialização Tecnológica, mantendo apenas um mestrado em informática aplicada. Contactado pelo nosso jornal, o atual presidente da ESTGOH, Carlos Veiga, mostrou-se indisponível a comentar esta meia “derrota” da escola superior, ainda que, ao que apurámos, a ESTGOH possa recorrer da decisão junto da A3ES. Já o curso de Desenvolvimento e Ordenamento do Território também necessita de “crédito” para poder abrir em Oliveira do Hospital, no próximo ano letivo, o que implica o encerramento de um curso numa escola do IPC, uma vez que a tutela não deixa abrir mais licenciaturas do que aquelas que já existem.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.