ADIBER recebe Medalha de Mérito do Município de Góis

Medalha ADIBER 2

Numa sessão presidida pelo Ministro-Adjunto, Eduardo Cabrita, o Município de Góis distinguiu a ADIBER com a atribuição da Medalha de Mérito como reconhecimento do trabalho que esta Associação tem realizado ao logo dos seus 22 anos de intensa actividade e pelo contributo prestado ao Concelho de Góis e da Beira Serra.

Ao receber este galardão, Miguel Ventura dedicou esta distinção ao grande mentor da ADIBER, Dr. José Cabeças, que “teve a astucia, a visão e a determinação de dar corpo a um projecto de desenvolvimento aberto a toda a comunidade local, organizada numa Associação de Desenvolvimento Local que teria melhores condições para beneficiar de outros recursos essenciais para fixar competências e para valorizar o potencial endógeno e a riqueza que este Concelho tinha e tem para oferecer”, agradecendo tudo quanto fez por Góis e pela Beira Serra.

Envolvido num profundo agradecimento à Câmara Municipal de Góis pela confiança e permanente apoio ao trabalho da ADIBER, através do qual é possível cumprir com os compromissos de criar mais bem-estar para as populações que servem, o Presidente da Associação deixou claro que “continuamos a ter um enorme orgulho no facto do berço da ADIBER ter sido o Concelho de Góis e de ser a partir desta Vila que irradiamos o nosso trabalho para toda a Região da Beira Serra.”

Sem esquecer os Fundadores, Dirigentes, Parceiros e Colaboradores, Miguel Ventura referiu que esta distinção confere mais responsabilidade a todos, exigindo ainda mais empenhamento colectivo, pelo que o reforço das parcerias com os Municípios de Arganil, Góis, Oliveira do Hospital e Tabua, bem como com a CIM Região de Coimbra irá ser reforçada para alcançar resultados mais significativos.

A terminar deixou uma palavra de apreço pela presença da Presidente da CCDRC, Profª Ana Abrunhosa, pelo exemplo de proximidade, de abertura e de cumplicidade que tem demonstrado para com os actores do Território, assim como ao Ministro-Adjunto cuja presença representa a vontade do Governo em estar perto do país real e de quem no dia-a-dia trabalha para manter viva uma parte significativa do Território nacional, testemunhando que estes são espaços de futuro e de progresso.

Miguel Ventura realçou que este é um território com pessoas resilientes, que sabem o que querem e não se resignam, espaços com potencial diversificado, com activos específicos e diferenciadores e com oportunidades que importa valorizar, deixando o repto a Eduardo Cabrita que “acreditar e confiar nas competências, saberes e na capacidade de concretização dos Cidadãos e das Instituições destas regiões é um factor determinante para que a coesão territorial e social de Portugal, seja efectivamente uma realidade e não um desejo permanentemente adiado”.

 

Maria de Lurdes Castanheira, Presidente da Câmara Municipal e fundadora da ADIBER, relembrou os primeiros tempos deste projecto associativo, não esquecendo o papel decisivo de José Cabeças e salientando a relevância que actualmente a ADIBER representa para o Concelho de Góis e para a Beira Serra onde se assume como um parceiro de referência, como a presença massiva de parceiros na cerimónia o comprova, deixando palavras elogiosas para todos quantos contribuíram para a consolidação da Associação.

Para Lurdes Castanheira, esta distinção evidencia a importância da Sociedade Civil no contexto da promoção do desenvolvimento dos territórios de baixa densidade, onde é mais notória a escassez de competências e de recursos necessários à efectiva concretização das ambições e anseios das populações, sendo que o Município de Góis tem assumido uma postura de evidenciar os bons exemplos que as Instituições locais têm protagonizado na sua meritória acção e enquanto parceiros activos de uma estratégia de desenvolvimento colectiva em concretização neste Concelho.

O Ministro-Adjunto, Eduardo Cabrita, encerrou a sessão destacando que a acção da ADIBER representa o que o Governo defende no que concerne a um olhar diferente para os territórios de baixa densidade, assente na valorização do seu potencial endógeno e na sua identidade, no trabalho em parceira e na crença de um futuro de progresso e de prosperidade para quem aqui vive.

O processo de descentralização que o Governo está a implementar, a concessão de novos apoios dirigidos especificamente para estes territórios e a concretização das acções do Programa Nacional para a Coesão Territorial, segundo Eduardo Cabrita, são a demonstração de que há um reconhecimento de que estas regiões são determinantes para que Portugal possa ultrapassar as dificuldades dos últimos anos e que todos contam para esse processo de desenvolvimento, com destaque para as Autarquias e para a Sociedade Civil, reforçando o sentimento de orgulho e pertença das populações aos seus territórios.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.