Alexandrino enfrenta PS em defesa de Coimbra

Folha do Centro - Autarca preocupado com aparecimento de casos de fome no concelho

Debate em torno da integração das futuras NUT não foi pacífico.

Coimbra ou Guarda: eis a questão que divide as diferentes forças políticas de Oliveira do Hospital, quando se trata de decidir a integração das futuras Comunidades de Municípios, que é quem vai gerir o próximo quadro comunitário. Apesar de existir uma espécie de “acordo” entre os Municípios da Beira Serra de irem para a futura NUT da Região de Coimbra, o tema parece não reunir consenso nem dentro do próprio PS local, que na reunião da Assembleia Municipal se mostrou contra a integração da Região de Coimbra, numa posição claramente contrária à defendida pelo presidente do executivo, José Carlos Alexandrino.
O deputado socialista, Carlos Maia, foi mesmo o mais cáustico sobre a opção da Câmara Municipal nesta matéria, não tendo dúvidas que Oliveira do Hospital “vai ser comido pelos concelhos do litoral”. “Eles estão-se a borrifar para o queijo serra da estrela, porque o que eles querem é praia”, afirmou, convicto de que o concelho teria muito mais a ganhar se integrasse a futura NUT da Guarda, tanto mais, referiu, que “em termos turísticos temos interesses comuns com alguns dos concelhos dessa região”. “Era bom que ponderássemos bem isto, porque sendo esta uma das regiões mais desfavorecidas do país, vai ter politicas de coesão e investimentos diferentes do litoral”, alertou, acusando Coimbra de “tentar levar tudo e de não dar nada a Oliveira”.
Também do PSD se ouviram vozes favoráveis à opção pela NUT da Guarda, alertando nomeadamente para o facto do concelho poder vir a beneficiar “de estar ao pé dos mais desfavorecidos”.
Tal como já tinha argumentado em sede de executivo camarário, o presidente do Município, foi claro ao não comungar destas opiniões, julgando que Oliveira por ser uma cidade de interior não tem que se “desvalorizar” em relação aos concelhos do litoral. Alexandrino deu o exemplo do sistema de concessão da água, que “se na altura fizéssemos parte das Águas de Coimbra, não estaríamos hoje na situação em que estamos com as águas do Zêzere e Coa”. Além disso, o autarca lembra também que em termos turísticos deixou de existir pólo da Serra da Estrela para estar tudo debaixo do chapéu do Turismo do Centro. Para o presidente da Câmara, não deixa de ser um “sinal positivo” da futura integração da Região de Coimbra, o facto de alguns municípios “mostrarem alguma resistência à nossa entrada”. Isso demonstra, para o autarca, que afinal Oliveira do Hospital tem peso na região.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.