Alexandrino promete manter “solidariedade” com freguesias extintas

Folha do Centro - Alexandrino promete manter “solidariedade” com freguesias extintas

Presidente da Câmara de Oliveira do Hospital anuncia, na tomada de posse, criação de serviços de proximidade com as populações.

Folha do Centro - Alexandrino promete manter “solidariedade” com freguesias extintas

O presidente da Câmara de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, anunciou durante a tomada de posse dos novos órgãos autárquicos, que irá criar “serviços de proximidade às populações” nas cinco freguesias que o Governo decidiu extinguir no concelho. “Seremos sempre o concelho das vinte e uma freguesias”, afirmou o autarca reeleito no passado dia 29 de setembro, nas listas do PS, num claro sinal de “solidariedade” para com os autarcas e as populações das freguesias que foram agregadas no âmbito da lei de reorganização do poder local, ao mesmo tempo que voltava a criticar uma decisão que, no seu entender, em nada beneficiou o país, servindo apenas para “nos tirar a nossa dignidade” e “nos fazer mais pobres”. Por isso, acrescentou, “a garantia que hoje aqui deixamos é a de que todas as freguesias que perderam esse estatuto continuarão a ter o mesmo tratamento de sempre e a nossa incondicional solidariedade”.

Num discurso onde não deixou de enfatizar a maioria histórica alcançada pela sua candidatura, mas também as responsabilidades “acrescidas” que isso representa, a partir de agora, em termos de exercício do poder, Alexandrino fez questão de reafirmar o compromisso de governar para todos e com todos os oliveirenses, uma fórmula, aliás, iniciada, no primeiro mandato e que segundo o edil, se revelou bem sucedida, fazendo com que “Oliveira do Hospital resistisse à tempestade e se impusesse como um dos municípios mais competitivos de toda a região”. “A forma de relacionamento político que inaugurámos esteve próxima das pessoas e dos seus problemas e longe da intriga e do divisionismo”, considerou o autarca agora empossado para um novo mandato à frente dos destinos do concelho oliveirense, procurando retratar o seu modelo de governação nos últimos quatro anos, marcado por um conjunto de iniciativas que deram “visibilidade ao concelho” e uma “prioridade” que foram “de facto” as pessoas, como foi visível pela presença das trabalhadoras da empresa de confeções que encerrou nas últimas semanas em Oliveira que, estiveram na cerimónia de tomada de posse, num gesto de agradecimento ao presidente da Câmara pelo apoio manifestado em todo o processo negocial com a administração.

Uma política que, pese embora os cortes anunciados para as autarquias na proposta do próximo Orçamento de Estado, deverá continuar a “centrar” a sua ação enquanto presidente do Município, prometendo especial atenção “aos casos de maior emergência social no concelho” e a todos quantos estiverem em situação de carência, estando “as portas do seu gabinete escancaradas para os receber”. (leia mais na edição impressa)

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.