Alunos querem passar a mensagem de que “Estudar em Oliveira do Hospital tem vantagens”

Folha do Centro - Alunos querem passar a mensagem de que “Estudar em Oliveira do Hospital tem vantagens”

Semana Académica da ESTGOH cumpre uma vez mais a tradição e sai às ruas da cidade a partir da próxima segunda feira com um programa “suficientemente abrangente”.

“Estudar em Oliveira do Hospital tem vantagens” é o “slogan” que a Associação de Estudantes da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTGOH) está apostada em promover em mais uma semana académica que se aproxima.

Com arranque marcado para a próxima segunda feira, 19, a festa magna dos estudantes da escola superior oliveirense, apresenta-se, este ano, com um programa “suficientemente abrangente” com vista a captar não apenas a comunidade estudantil da região, mas também a população de uma forma geral. Luís Pereira, presidente da associação de estudantes da ESTGOH é quem faz cumprir mais uma vez a tradição, ao liderar a organização daquele que é o maior evento académico desta escola, que durante sete dias e sete noites promete novamente encher e animar a cidade oliveirense. “O cartaz é um bom cartaz que tanto pretende envolver os estudantes, como toda a comunidade”, garante o representante da academia oliveirense, otimista em relação à adesão do público aos concertos agendados para o Parque do Mandanelho que, pelo terceiro ano consecutivo, é o palco de eleição da semana académica de Oliveira do Hospital.

“Pensamos que dada a sua centralidade, e às condições naturais este é o local ideal para a realização deste evento”, afirma Luís Pereira, que aposta também numa bilheteira “low cost” de forma a poder cativar mais público. “A noite mais cara é cinco euros, no sábado, dia 24, com os Perfume que é uma banda conhecida a nível nacional, no resto das noites temos bilhetes a um euro, dois e três euros, com uma forte aposta em bandas e dj´s locais”, diz o presidente da AEESTGOH, para quem esta festa é um passaporte privilegiado para a promoção e divulgação da escola no exterior. “Tentamos com este evento divulgar a escola, lembrar que existe aqui uma boa alternativa de formação e uma formação de qualidade”, mas também “uma oportunidade para quem quer ingressar no ensino superior e tem menos recursos”. “Queremos passar a mensagem de que estudar em Oliveira do Hospital tem vantagens no orçamento familiar, porque a ESTGOH tem as propinas mais baixas de todo o IPC, e em termos de habitação para estudantes os custos também são mais baixos”, considera o porta voz dos estudantes, julgando que, independentemente das noticias menos positivas que têm atingido a escola, como a deslocalização de alguns cursos para Coimbra, “o projeto ESTGOH está consolidado”, e tem sido, ao longo dos 14 anos que está implantado em Oliveira do Hospital, “uma fonte de captação de licenciados por parte das empresas da região”. “Tenho contactado com alguns empresários que têm nas suas empresas muitos alunos da ESTGOH”, aliás, acrescenta, “a cidade de Oliveira do Hospital já é considerada uma cidade estudantil, na medida em que a população estudante já conseguiu atingir 1/5 da sua população residente”.

Embora, atualmente com menos alunos, Luís Pereira entende que a escola superior tem ainda muito para crescer dentro e fora da Beira Serra, até porque, “hoje as pessoas já começam a chegar à conclusão que tirar o curso em escolas do Litoral, quando terminam, têm mais dificuldade em arranjar emprego do que propriamente no Interior”, constata, confiante no futuro da escola superior, não tendo dúvidas, do papel determinante que esta teve e continua a ter para o desenvolvimento da região. Com mais uma semana académica aí à porta, a Associação de Estudantes da ESTGOH vai aproveitar para divulgar a oferta formativa da escola, nomeadamente nos eventos mais virados para a comunidade como é o caso do já tradicional cortejo académico, que se realiza ao domingo, precisamente para reunir as famílias e os amigos dos estudantes, numa festa que se pretende também de “agradecimento e reconhecimento por aquilo que fazem pelos seus filhos”, diz Luís Pereira.

E porque se prevê que seja um dia de maior movimento na cidade, a Associação de Estudantes deixa o apelo ao comércio, nomeadamente ao setor da restauração e cafés, para estar aberto, já que é também uma “oportunidade de fazerem negócio com esta semana académica”.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.