Ameaça de encerramento paira sobre hotel de Tábua

Folha do Centro - Ameaça de encerramento paira sobre hotel de Tábua

Única unidade hoteleira da vila está a passar por dificuldades.

O executivo camarário de Tábua garante estar a envidar todos os esforços no sentido de manter aberto aquele que é o único hotel da vila e uma das poucas unidades de alojamento do concelho tabuense, pelo menos com o mesmo número de camas, uma vez que são conhecidas as dificuldades por que está a passar esta infra estrutura e que põem em causa o seu funcionamento.

O assunto foi abordado, esta quarta-feira, na reunião pública de Câmara, onde a vereadora com o pelouro do turismo, Ana Paula Neves, deu nota dos contactos mantidos com o Turismo do Centro de Portugal, numa tentativa de encontrar uma solução para este equipamento que é propriedade de um fundo de investimento de turismo, que tem a participação do Turismo de Portugal. “Aquilo que nós dissemos é que estávamos preocupados com o possível encerramento deste hotel, até porque a nossa zona não tem grande oferta hoteleira, o que não foi sequer uma grande novidade para o Turismo de Portugal que estava dentro do assunto”, adiantou a vereadora e vice presidente da autarquia tabuense, adiantando que apesar de ter vindo da reunião “mais descansada”, reconhece que “as coisas tal como estão não estão bem”, pelo que “alguma alteração vai ter de acontecer, porque a situação não é famosa”. “Esperamos manter o hotel aberto, foi-nos dito que até junho, pelo menos, tinham reservas, contando com o movimento que vão trazer as duas maratonas BTT que se vão realizar no concelho”, referiu a autarca, a aguardar dias melhores para este equipamento hoteleiro.

Um equipamento que, segundo a vereadora, faz falta ao concelho, que além de não dispor de “grandes alternativas” em termos de alojamento, tem, ao longo do ano, um conjunto de eventos que trazem muita gente a Tábua, necessitando de camas para as alojar. “Só o BTT em maio vai trazer para cima de 1200 pessoas, entre participantes e familiares, e já há marcações para essa altura, agora para a Feira do Queijo também, na FACIT também precisamos de alojamento” exemplificou Paula Neves, considerando que esta é uma situação complicada para o próprio Município e para os seus potenciais visitantes.

Também o presidente da Câmara Municipal, Mário Loureiro, mostrou a sua preocupação perante a situação vivida no hotel de Tábua, apesar de ter “alguma garantia do Turismo de Portugal de que não é sua vontade que este hotel seja encerrado, mesmo que essa seja a intenção da atual entidade gestora do equipamento”. O autarca adianta, de resto, ter contactado o presidente do Turismo do Centro, Pedro Machado, que se “tem empenhado de uma forma espetacular para manter este hotel aberto”, tencionando voltar a fazê-lo novamente esta sexta-feira, na reunião da assembleia geral do TCP, onde a autarquia de Tábua tem assento.

Perante a ameaça de fecho do hotel, a vereadora do PSD, Maria do Rosário, manifestou igualmente o seu desagrado, lembrando que esta “é uma peça fundamental e que tem um papel importante na promoção do concelho”, até porque há manifestamente “falta de alojamento na região”. Recorde-se que o concelho vizinho de Oliveira do Hospital tem o seu hotel encerrado há mais de um ano, o que tem provocado também alguns constrangimentos à atividade de promoção turística do concelho.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.