ANCOSE garante que efetivo animal de raça bordaleira está praticamente restabelecido

Folha do Centro - ANCOSE alerta para risco de extinção da raça Serra da Estrela

Associação Nacional de Criadores de Ovinos Serra da Estrela diz que, graças ao Centro de Recria, o setor conseguiu reerguer-se e recuperar a produção de queijo Serra da Estrela, DOP.

17 meses depois do grande incêndio de outubro de 2017, a ANCOSE conseguiu praticamente repor todo o efetivo animal de raça bordaleira na região, encontrando-se igualmente em franca recuperação a produção de queijo Serra da Estrela, DOP.

Tudo graças ao Centro de Recria, criado nas instalações da associação, logo a seguir aos incêndios, permitindo que os pastores que perderam parte do seu efetivo animal de raça Serra da Estrela, pudessem recuperar mais cedo também as suas explorações.

Manuel Marques, presidente da Ancose, lembra que das cerca de duas mil ovelhas de raça autóctone que desapareceram no fogo, já foi possível repor uma percentagem muito significativa. “O efetivo não está completamente restabelecido a 100%, como gostaríamos, mas no decorrer deste ano, achamos que é possível ter os rebanhos todos repostos”, adianta Manuel Marques, não tendo dúvidas que a Ancose tem tido um papel determinante no renascer de um setor, que se já estava ameaçado antes dos fogos, ficaria ainda mais condenado no pós 15 de outubro, se não existissem estes apoios.

“Esse é o nosso papel, é defender a ovelha bordaleira e os seus pastores/produtores, e o Centro de Recria já era um projeto que tínhamos em mente, os incêndios só vieram acelerar esse projeto”,  conta o presidente da associação que, no último ano e meio, tudo tem feito para restituir aos pastores o que estes perderam de forma inesperada.

Pese embora as dificuldades conhecidas de um setor que tarda em ser rentável, Manuel Marques verifica que o pior não aconteceu, no pós incêndio, que era os produtores aproveitarem para abandonar a atividade. “Felizmente que não houve desistências, o número de explorações e queijarias mantém-se”, diz, satisfeito, o dirigente, depois de em 2018 se ter registado uma quebra acentuada da produção leiteira de raça bordaleira, na região, com reflexos na diminuição da quantidade de queijo Serra da Estrela produzido. Este ano, o cenário consegue já ser bem diferente, com mais leite, e por consequência mais queijo disponível no mercado, o que, certamente, deverá ser notado já no próximo fim de semana na feira do queijo Serra da Estrela em Oliveira do Hospital.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.