Antigo Centro de Negócios com solução à vista

Acibeira1

Câmara Municipal já comprou Acibeira

As instalações do antigo Centro de Negócios de Lagares da Beira – Acibeira – poderão finalmente ser recuperadas para o fim para que foram construídas. Abandonado há mais de duas décadas, o antigo complexo empresarial foi adquirido recentemente pela Câmara Municipal de Oliveira do Hospital à Caixa de Crédito Agrícola, que detinha o direito de superfície do espaço. O antigo centro de negócios, propriedade da extinta Acibeira, foi construído no início dos anos 90, com fundos do 1º Quadro Comunitário de Apoio, integrando seis edifícios – dois pavilhões de exposição, um edifício de serviços administrativos, um centro de comunicações, um restaurante/bar e ainda um anfiteatro, que nunca chegou a ser concluído, encontrando-se em avançado estado de degradação. Um verdadeiro “elefante branco” que este executivo camarário quer resolver, de uma vez por todas, depois de concretizado o negócio com a Caixa Central na ordem dos 150 mil euros.
Em causa está um acordo há muito reivindicado pela Junta de Freguesia de Lagares da Beira que, ao longo dos anos, foi alertando para a degradação do espaço, e nomeadamente para o desperdício de dinheiros públicos que ali foram aplicados sem qualquer finalidade. Já na altura em que foi lançado, o complexo custou cerca de meio milhão de contos, e nunca chegou a ser rentabilizado, tendo ali funcionado apenas, durante os primeiros anos a sede daquela associação, e uma feira grossista, num dos pavilhões de exposição. Além destes dois espaços, só a área de restauração foi utilizada para eventos, mas acabou também por ser abandonada.
No último mandato autárquico chegou ainda a ser aventada a hipótese de deslocar a ESTGOH para aquelas instalações, solução que contava o aval do ex presidente da Câmara, Mário Alves, do então presidente do Instituto Politécnico de Coimbra e do presidente da CCDRC à altura. Uma proposta que, apesar de ser contestada pelos oliveirenses, pois não viam com bons olhos a saída da escola superior da cidade, também não foi exequível em termos financeiros, uma vez que a recuperação do espaço custava mais do dobro que a construção de uma escola de raiz em Oliveira. Certo é que ainda chegou a existir uma candidatura ao QREN para a recuperação integral das instalações, no valor de seis milhões de euros, que acabou chumbada. A ideia da Câmara Municipal, e que estará mais próxima de ser uma realidade, é deslocar para aquele espaço a incubadora de empresas BLC3, neste momento sedeada em instalações arrendadas na zona industrial de Oliveira, já que o seu projeto “âncora” – o Bio Refina Ter – para produção de combustíveis a partir de restos da exploração florestal – prevê a utilização dos pavilhões da antiga Acibeira.
A proposta de aquisição do antigo Centro de Negócios foi aprovada na última Assembleia Municipal, altura em que alguns deputados questionaram o destino a dar a este espaço. João Dinis pôs mesmo em causa a viabilidade financeira dos projetos que a BLC3 quer deslocar para Lagares, achando que poderá ser um “elefante branco cinquenta vezes maior que a Acibeira”.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.