Assembleia Municipal reuniu em clima de despedida

Folha do Centro - Assembleia Municipal reuniu em clima de despedida

José Carlos Alexandrino falou dos “altos e baixos” do atual mandato e congratulou-se com a forma “solidária” como os eleitos locais se bateram nas grandes questões do concelho.

Foi em ambiente de despedida que a Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital reuniu, na passada sexta feira à noite, ou não fosse esta a última sessão do atual mandato e a derradeira para muitos dos eleitos locais. Das várias “bancadas” que compõem o mais importante órgão autárquico do concelho, foram igualmente vários os “até sempre” dos deputados que as representam, ou não estivessem no horizonte próximo as eleições que a partir de 29 de setembro se encarregarão de mudar a face e as faces desta Assembleia.

No PSD, o principal partido agora na oposição, foi mesmo um “último adeus”, já que nenhum dos atuais eleitos integra as listas às autárquicas, do mais antigo ao mais novo dos elementos, o que motivou uma despedida serena e a “bem” com o partido e as pessoas que lideraram o concelho nos últimos quatro anos. Nem sempre foi assim, reconheceu Rui Abrantes. Um dos mais jovens elementos da bancada laranja e principais opositores de Alexandrino nestas reuniões aproveitou a última intervenção do mandato para pedir desculpa por “algum excesso”, afinal, “isto não é nada de pessoal”, mas sim “ em defesa do concelho”.

Mas se no grupo do PSD, as intervenções tiveram tom de despedida, já na bancada independente houve quem aproveitasse para “queimar os últimos cartuchos” e apontasse críticas à atual governação socialista. Eleito pela primeira vez em 2009, o jovem deputado, Rafael Costa, agora número dois da lista do PSD, não esteve com contemplações de final de mandato e lançou mesmo duras acusações a José Carlos Alexandrino na recente polémica em torno da extinção do curso de marketing da ESTGOH. O deputado independente lamentou a forma “indigna” como o autarca geriu este dossiê, com “insinuações e discurso inflamado” quando “é nos locais próprios que se resolvem estes assuntos”. Outra área que o deputado considerou mal gerida foi o turismo, acusando o atual executivo de ter tido uma visão redutora e sem “estratégia” deste setor, assim como em relação aos relvados sintéticos, que considerou serem uma “má opção”. Resumindo “era preciso menos no imediato e pensar mais no futuro”, afirmou o jovem eleito pelo Movimento Oliveira Sempre e que motivaram uma pronta réplica do presidente da Câmara. (leia mais na edição impressa)

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.