“Ativos Sociais” são uma bandeira da Câmara de Oliveira do Hospital na área do emprego

Activos Sociais

Projeto pioneiro já criou mais de meia centena de postos de trabalho.

É já uma “bandeira” deste executivo na área do emprego, e vai-se traduzir na criação de cerca de sessenta postos de trabalho, até ao final deste ano. Trata-se do Programa “Ativos Sociais” lançado em maio pelo Município de Oliveira do Hospital, e tem como objetivo combater o desemprego no concelho, através de um apoio à contratação. Para já são parceiros neste projeto as várias IPSS’s locais e Juntas de Freguesia, com quem foram assinados protocolos de cooperação, mas o próximo passo será alargar este estímulos às empresas privadas. A ideia é que o programa funcione como um incentivo à criação de novos postos de trabalho, numa fase particularmente difícil da vida das instituições, e ao mesmo tempo contribuir para a integração de jovens e desempregados no mercado de trabalho.
Em seis meses o programa “Ativos Sociais” permitiu a colocação de 48 pessoas, a maioria jovens com formação média e superior. “É um investimento que a Câmara Municipal decidiu fazer nestas pessoas, até porque nós temos consciência que para muitos jovens de Oliveira do Hospital o seu maior desejo é terem acesso ao emprego”, justifica o presidente da autarquia, José Carlos Alexandrino, sublinhando a relevância deste projeto não apenas do ponto de vista da integração no mundo do trabalho, mas da “esperança” que vem criar aos jovens desempregados. “É importante ajudarmos os nossos jovens a acreditar no futuro” considera o edil, totalizando em 194 mil euros o investimento neste projeto, reforçando assim a “prioridade nas pessoas e nos apoios às instituições”.
Um projeto que, segundo o vice presidente da Câmara é mesmo “pioneiro” a nível nacional, e que é “uma aposta ganha em termos de respostas sociais”, garante Francisco Rolo. “O Município esteve na vanguarda na capacidade de conseguir aliados na criação de postos de trabalho”, afirmou o vereador da ação social, dando conta dos resultados desde que o programa foi lançado em maio, que se resumem na criação de 48 postos de trabalho e mais 12 candidaturas que deverão ser aprovadas até ao final do ano. Ou seja, “estamos a falar de 10 postos de trabalho por mês”, frisou, entendendo este projeto, por enquanto exclusivo de Oliveira do Hospital, como mais um fator de esperança, num momento de dificuldades e particular austeridade, também no concelho. Um momento de crise que, segundo o presidente do executivo, encontrará algumas respostas no próximo orçamento municipal, voltando a ser um documento “com um forte pendor social”, com mais de um milhão e duzentos mil euros inscritos só para ação social.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.