Autarca de Vila Franca promete luta “muito dura” a políticos favoráveis à extinção da freguesia

Folha do Centro - Autarca de Vila Franca promete luta “muito dura” a políticos favoráveis à extinção da freguesia

Freguesia comemora 25 anos de existência em 2013, independentemente de estar na lista “negra” para abater.

O presidente da Junta de Freguesia de Vila Franca da Beira, João Dinis, fez questão de marcar presença na primeira reunião pública deste ano do executivo camarário para lembrar que, pese embora o cenário de extinção que recai sobre a freguesia, o seu executivo e os vilafranquenses preparam-se para comemorar o 25º aniversário desta autarquia local. João Dinis garante que a posição dos eleitos locais em relação à rejeição da designada lei de abate das freguesias, se mantém intocável, e lamenta que outros membros com responsabilidades políticas no concelho se tenham “atrevido” a dizer que seriam favoráveis a uma eventual extinção da Junta de Vila Franca. O autarca referia-se ao deputado independente, e atual candidato do CDS/PP à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Vasco de Campos, que durante um debate na Assembleia Municipal, se mostrou favorável à pronúncia dos órgãos eleitos de Oliveira do Hospital sobre a lei de reorganização administrativa, nomeando mesmo o nome de algumas juntas, entre as quais Vila Franca, que na sua ótica poderiam ser agregadas sem que isso representasse prejuízos para as populações.
Ora, se na altura o confronto foi duro, também agora o promete ser, com João Dinis a prevenir o candidato autárquico de que terá em Vila Franca uma “luta muito dura” durante a próxima campanha eleitoral, desafiando mesmo Vasco de Campos a ir à freguesia e dizer “olhos nos olhos” aos vilafranquenses a posição que defende nesta matéria. Convicto de que irá comemorar não só este aniversário, como o dos próximos anos, João Dinis veio novamente reclamar a revogação da lei de abate das freguesias, que como já é público, propõe a agregação de Vila Franca à freguesia de Ervedal da Beira, sob pena de “nos permitirmos a uma luta sem tréguas em defesa da plenitude da nossa freguesia”. Assembleia e Junta de freguesia fizeram aprovar mais uma posição conjunta de “inequívoca rejeição” das leis de reforma das freguesias, argumentando, nomeadamente que “a história, as nossas aspirações e os nossos direitos democráticos, nos legitimam a dizer malfadado processo é uma verdadeira afronta aos vilafranquenses e aos seus autarcas”.
“Há 25 anos atrás a elevação de Vila Franca da Beira a freguesia de pleno direito foi o consagrar de uma aspiração ancestral dos vilafranquenses”, fazem notar num comunicado conjunto, considerando a freguesia uma “herança sagrada que queremos projetar para o futuro”. Perante a situação que está a ser imposta à Junta de Freguesia de se “unir” com o Ervedal, os autarcas voltam a invocar “objeção de consciência”, de forma a não participarem nos trâmites legais e institucionais que se avizinham para consumar a aplicação das leis. Uma posição que serve para reforçar as muitas manifestações contra o abate das freguesias, vindas a público no último ano, por parte dos autarcas de Vila Franca que, independentemente da agregação da sua autarquia, prometem continuar a assinalar a data de criação da freguesia.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.