Autarcas iniciam luta contra abate de cinco freguesias

Luta autarcas

Os presidentes das cinco Juntas de Freguesia que estão na “lista negra” para abater no concelho de Oliveira do Hospital mostraram, de viva voz, a sua profunda indignação com a proposta da Unidade Técnica para a Reorganização Administrativa do Território, durante uma conferência de imprensa realizada nos Paços do Município. Depois de terem votado pela não pronúncia em sede de Assembleia Municipal, os autarcas das cinco freguesias em causa dizem não se conformar com a proposta da UT, e criticam, mais uma vez, o Governo de não respeitar o sentimento das freguesias e das suas populações. Uma posição que foi de resto reafirmada pelo presidente da Câmara Municipal, José Carlos Alexandrino, que apesar de ter dito que não quer transformar este assunto numa “luta político partidária”, está solidário com a luta dos autarcas, participando nomeadamente na “marcha lenta”, que este sábado atravessou as cinco freguesias a “extinguir”. “Irei lá estar com o meu carro, mas enquanto presidente do Município para intervir em todas as localidades”, afirmou na mesma conferência de imprensa, onde voltou a acusar o governo de ter sido “forte com os fracos”, atacando as juntas de freguesia, não tocando, todavia “nos interesses mais fortes”. Alexandrino aproveitou para reiterar alguns dos argumentos porque é contra esta reorganização administrativa, lembrando nomeadamente que esta “retirada de serviços” vai acelerar ainda mais a desertificação destas localidades, que já mostraram através dos seus órgãos eleitos que são frontalmente contra o fecho das freguesias. Tendo em conta o trabalho do executivo e da Assembleia Municipal no sentido de “salvar” a freguesia de Nogueira, o edil só lamenta a forma “cobarde e traiçoeira” como os dirigentes locais do PSD se comportaram nesta discussão, manifestando-se favoráveis à pronúncia, mas nunca tendo tido “coragem” para dizer quais as freguesias a extinguir. “Quem fez a lei há de vir ao terreno, e terá que enfrentar o povo de Oliveira do Hospital”, avisou o presidente da Câmara, acusando os membros do PSD de “demagogia” e de falta de frontalidade para apontar as freguesias que queriam ver extintas.
Para os cinco presidentes de Junta “enlutados” com esta lei – S. Paio de Gramaços, Lajeosa, Vila Franca da Beira, Vila Pouca da Beira e S. Sebastião da Feira – resta agora a “luta” que se iniciou com a realização de uma marcha lenta, até porque, deixaram claro, não aceitam de forma nenhuma ser “coveiros” das suas freguesias. “Elegeram-me para tomar conta da minha freguesia, não para a enterrar”, afirmou o presidente da mais pequena freguesia do concelho – S. Sebastião da Feira, que sendo “pequena”, tem um “grande valor” para a população.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.