Autarquia e Quercus assinam protocolo para recolha de rolhas de cortiça

Folha do Centro - Autarquia e Quercus assinam protocolo para recolha de rolhas de cortiça

Principais parceiros são os 18 restaurantes do concelho.

A Câmara Municipal de Tábua marcou a “agenda” do Dia Mundial da Árvore com a assinatura de um protocolo com a associação ambientalista “Quercus”, que se propõe recolher no concelho tabuense rolhas de cortiça para reciclagem.

O projeto conta como principais pontos de recolha os 18 restaurantes do concelho, onde foram colocados recipientes em vidro para a deposição das rolhas, e em troca a Quercus disponibilizará ao Município árvores de espécies autóctones para plantar.

Para o presidente da autarquia tabuense, Mário Loureiro, trata-se de mais um passo importante na “política de desenvolvimento sustentável ” que o seu executivo persegue e que tem como objetivo final a preservação daquilo que “temos de bom”, como são os nossos recursos naturais. Acreditando que as preocupações ambientais são cada vez mais “uma obrigação politica” mas acima de tudo “uma obrigação social de cada um de nós com os nossos comportamentos”, o edil deixou o desafio aos tabuenses para darem as mãos por esta campanha, que é uma forma também de evitar o envio destes resíduos para o lixo, poupando assim os custos com o seu tratamento. “Como presidente da Associação de Municípios do Planalto Beirão tenho também responsabilidades acrescidas nesta área”, referiu o edil, que tem como meta em 2020 ter apenas 20% do lixo produzido na região em aterro sanitário. “Se conseguirmos isto é sinal que estamos todos a cumprir a nossa obrigação”, afirmou, lembrando que “todas as iniciativas que possam prosseguir nesta área são bem vindas”.

Também o dirigente da Quercus, Pedro Sousa, entende que o Município de Tábua ao aderir a este projeto “está a ajudar duplamente a melhorar o ambiente”. Por um lado “está a evitar mandar um resíduo para aterro o que provocaria ainda mais poluição” e por outro, diz “ajuda no processo de reflorestação com espécies autóctones que são muito benéficas para o ambiente”. “O concelho verá as suas candidaturas para reflorestação majoradas precisamente por estar a fazer a reciclagem das rolhas”, adiantou Pedro Sousa, lembrando que este projeto existe desde 2008, tendo como principais pontos de recolha as lojas Continente. Ora, “como a loja mais próxima fica a algumas dezenas de quilómetros de Tábua este protocolo vem ajudar o projeto”, explicou ainda aquele responsável, que agradeceu o empenho da Câmara Municipal de Tábua em se associar a este projeto e a “implementá-lo no terreno”, pois de outra forma seria difícil juntar uma quantidade de rolhas que justificasse o seu transporte para reciclagem.

Além dos estabelecimentos comerciais, o vereador do ambiente, Ricardo Cruz, garante que foi ainda lançado o desafio a outros parceiros para aderirem à recolha de rolhas, como a Eptoliva e os escuteiros, que se espera possam também contribuir para um bom resultado final, até porque quanto mais rolhas forem recolhidas mais árvores Tábua ganha da Quercus, para reflorestar o concelho.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.