Banho de espuma no açude da Moenda alerta para possíveis descargas de esgotos

Folha do Centro - Banho de espuma no açude da Moenda alerta para possíveis descargas de esgotos

Movimento Salvem Alvoco alerta para problemas com funcionamento da ETAR.

O Movimento de Cidadãos “Salvem Alvoco das Várzeas” acaba de denunciar o aparecimento de espuma “sugestiva de descargas de esgotos” no rio, mais concretamente no açude da Moenda, próximo do local onde é suposto desaguarem os efluentes domésticos já tratados pela ETAR que se encontra implantada a poucos metros daquela zona balnear.
A primeira denúncia foi apresentada na passada sexta à brigada do ambiente da GNR da Lousã, e foi documentada com fotos que dão conta da presença “inexplicável” de espuma na água do rio a montante da “boca do lobo”, onde atualmente são feitas as descargas das águas residuais da ETAR. “Junto ao açude está uma ETAR a funcionar, sendo o mau funcionamento desta a causa provável do aparecimento de espuma na água”, sugerem os representantes do Movimento na queixa dirigida à brigada do ambiente, onde dizem mesmo já estarem “identificados casos de erupções cutâneas em residentes em Alvoco após o banho no poço do açude”.
“Só a descarga de esgotos a montante da boca do lobo, de que suspeitamos, explica que a parte central do açude esteja este ano cheia de vegetação, em vez de estarem à mostra, como sempre sucedeu, as rebolas (as pedras do rio que lhe são características) ”, referem ainda na mesma denúncia, fazendo notar que na própria boca do lobo, “onde provavelmente não são feitas todas as descargas, emerge mau cheiro, além do aspeto geral ser sugestivo de mau funcionamento da ETAR”.

Câmara admite recurso à via judicial para obrigar AZC a fazer manutenção das ETAR´s

O presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, admitiu o recurso à via judicial como forma de obrigar as Águas do Zêzere e Coa a fazer a manutenção das Estações de Tratamento de Águas Residuais do concelho. Confrontado pelo deputado independente e membro do Movimento de Cidadãos Salvem Alvoco de Várzeas, José Vasco de Campos, acerca dos problemas detetados na última semana na ETAR de Alvoco, o autarca foi o primeiro a reconhecer que o que se está a passar não só com este equipamento, mas com outras ETAR’s no concelho, “é uma autêntica vergonha”, receando mesmo que a pressão do “presidente do Município junto da AZC já não seja suficiente para resolver o problema”. “Isto é absolutamente impensável, julgávamos que tínhamos as ETAR´s para melhorar o ambiente no nosso concelho, e qual não é o nosso espanto que estamos nesta situação”, afirmou o edil, lamentando que as AZC passem a responsabilidade para a empresa que faz a manutenção dos equipamentos, dizendo que esta “está insolvente” e entretanto “a nós continuam-nos a aplicar as faturas”. Alexandrino garante que o mau funcionamento das ETAR’s não é exclusivo de Alvoco, “há também queixas de maus cheiros em Lagares, em Vila Pouca, em Santo António do Alva”, referiu, ontem, na reunião de Assembleia Municipal, onde foi aprovada uma moção de repúdio pela forma “deficiente” como as AZC têm vindo a fazer o trabalho de manutenção destes equipamentos, que desde que entraram em funcionamento estão cheios de “anomalias”. Alexandrino adiantou ainda já ter reunido na ARH por causa deste problema, considerando que esta entidade é quem tem obrigação de “aplicar coimas elevadas” a quem não cumpre com as normas ambientais. (leia mais na edição impressa)

 

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.