Bombeiros de Oliveira pedem mais meios para primeira intervenção

Folha do Centro - Bombeiros de Oliveira pedem mais meios para primeira intervenção

Repto foi lançado nas comemorações do 91º aniversário da associação.

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Oliveira do Hospital pediu “mais meios para a primeira intervenção”, atendendo até ao verão negro de 2012, em que o concelho de Oliveira do Hospital registou o maior número de incêndios florestais no distrito de Coimbra. O apelo foi lançado durante as comemorações do 91º aniversário da associação que contou, como é habitual, com a presença de toda a “família” dos bombeiros, incluindo as várias autoridades distritais na área do socorro a pessoas e bens.
Apesar dos “resultados positivos” conseguidos em 2012, com o número de ocorrências no concelho a não ter a efetiva correspondência em termos de área ardida, o comandante Emídio Camacho aproveitou para apelar a uma melhor distribuição das Equipas de Combate a Incêndios Florestais (ECIF) por parte do Comando Distrital de Operações de Socorro. “É minha sugestão que, este ano, a distribuição de ECIN seja mais acautelada e haja da vossa parte maior equidade para que este corpo fique apetrechado de meios para que a primeira intervenção seja feita de forma célere e eficaz”, advertiu o comandante sublinhando “o espirito de sacrifício” do seu corpo ativo, ainda bem visível, nos incêndios do último verão, que chegaram ao concelho, já em fase incontrolável, quando poderiam ter sido resolvidos numa primeira intervenção.
Uma preocupação deixada num dia marcado pela apresentação de mais um projeto da associação humanitária dos bombeiros voluntários, que tem como objetivo incutir nos mais novos o espirito da solidariedade e da ajuda ao próximo que caracteriza os soldados da paz. Trata-se da escolinha de bombeiros e é frequentada por cerca de 70 crianças e jovens dos 6 aos 16 anos, representando para esta corporação um conjunto de “sementes lançadas para o futuro” com o objetivo de assegurar o próprio voluntariado, tão em crise, nestas instituições. Um momento que “mexeu” particularmente com o presidente da Câmara de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, que deixou a promessa de continuar a apoiar com os meios financeiros possíveis as duas corporações de bombeiros do concelho, atendendo até ao trabalho que desenvolvem em prol da segurança das pessoas, referindo-se nomeadamente aos problemas de sinistralidade no concelho, sobretudo na EN17, que ultimamente tem dado que fazer aos bombeiros.
E como falar de bombeiros, é sinónimo de salvar vidas e bens, a corporação aproveitou mais um aniversário para inaugurar uma nova viatura, há muito reclamada neste “quartel”, de combate a incêndios urbanos. Um presente “apadrinhado” pelo patrão do grupo Sonae, Belmiro de Azevedo, que tem no concelhouma das unidades industriais de “mais alto risco”, onde no passado, já foi necessária a intervenção dos bombeiros oliveirenses. Co financiada pelo QREN e Município de Oliveira do Hospital, a nova viatura foi “acolhida” na nova garagem dos BVOH, que está prestes a ser concluída, servindo para estacionar algumas das viaturas que já “dormiam ao relento” por falta de espaço no interior do quartel. Tudo investimentos que a direção liderada por Arménio Tavares garante não colocarem em causa o equilíbrio financeiro da associação, que apesar dos cortes na área da saúde, não dá “sinais de corrosão” em termos de contas.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.