Cães e gatos assassinados em série em Seixo da Beira

Folha do Centro - Cães e gatos assassinados em série em Seixo da Beira

Episódio macabro está a deixar preocupada a população que desconhece os métodos utilizados para a morte destes animais e as eventuais consequências para a saúde pública.

A morte recente de pelo menos oito cães e dois gatos nas ruas de Seixo da Beira, está a deixar a população em alerta, receando sobretudo por possíveis perigos para a saúde pública. O episódio, sem precedentes na freguesia, vitimou, inclusivamente, a “mascote” da aldeia – a “Estrelinha”, uma pastora alemã que há anos vivia nas ruas da aldeia, e que era muito acarinhada por todos.

Os animais terão sido mortos por envenenamento, não se conhecendo as razões que levaram o/os autores a cometer tal ato, pois diz quem os conhecia que os bichos não “faziam mal a ninguém”. “Não faço a mínima ideia de quem possa estar por detrás disto, os cães não faziam estragos nenhuns, não se metiam com ninguém, é tudo muito estranho”, relata o presidente da Junta de Freguesia, Carlos Batista, para quem este caso não pode ficar impune e deve ser investigado até às últimas consequências. “Acho que devem ser encontrados os culpados e punidos com mão pesada, porque isto está chocar toda a população”, garante o autarca, lembrando que os cães, alguns deles apesar de vadios, eram perfeitamente inofensivos. “O que chocou mais foi a morte da Estrelinha, porque era uma cadela querida de toda a gente: toda a gente a conhecia e ela conhecia toda a gente”.

O presidente da Junta garante que este caso está a deixar preocupados os habitantes da aldeia que desconhecem os eventuais riscos para a saúde pública decorrentes da morte destes animais nestas circunstâncias, até porque no caso da Estrelinha, esta convivia diariamente com a população, nomeadamente com as crianças. “O mais grave é terem feito isto numa zona frequentada por crianças”, junto à creche e à escola do primeiro ciclo, havendo o risco de alguma criança poder ter contato com a substância alegadamente letal utilizada para matar os animais, refere o autarca, dizendo não ter memória de um caso assim na freguesia. “Aquilo que fizemos foi avisar as pessoas para terem cuidado e não deixarem as crianças sozinhas, uma vez que os cães morreram todos na zona próxima da escola”, adianta, acreditando que as análises aos cadáveres que deverão agora ser realizadas poderão ajudar nas investigações, determinando exatamente a substância utilizada para matar os animais.

Além dos oito cães e dois gatos encontrados sem vida, há ainda, de acordo com a junta de freguesia, mais animais desaparecidos, que se presume também possam ter sido envenenados. A situação macabra foi de imediato comunicada à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, que através dos seus serviços recolheu os animais sem vida, e também reportada à Guarda Nacional Republicana para investigarem o caso. Contudo, num primeiro momento, após buscas no local, não terá sido encontrado nada que pudesse identificar a causa do incidente.

Preocupado com a morte recente de uma série de animais em Seixo da Beira, o Partido Ecologista “Os Verdes” já veio a terreiro questionar os Ministérios da Saúde e do Ambiente sobre este episódio “hediondo”, perguntando, nomeadamente, que medidas preventivas é que já foram tomadas para reduzir os riscos para a população e se estão previstas algumas ações de informação para tranquilizar os habitantes da aldeia.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.