Câmara assinala “momento histórico” com lançamento de obras no valor de 5,5 milhões

vista CMOH sede paços

Concursos públicos para a requalificação da zona histórica, alargamento da zona industrial da cidade e beneficiação do parque dos Marmelos foram aprovados esta quinta-feira em reunião pública do executivo camarário.

Foi uma reunião “histórica” a da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital esta quinta feira. De uma vez, o executivo camarário lançou o concurso público para a realização de três empreitadas na cidade, no valor de 5, 5 milhões de euros, investimento nunca antes feito por um executivo municipal.

Para o presidente da Câmara, esta é contudo a derradeira oportunidade de Oliveira do Hospital ter acesso às verbas do Pacto da Comunidade que “tanto custaram a conquistar na mesa das negociações”. “Se não aproveitamos esta oportunidade nunca mais arranjamos este dinheiro”, afirmou claramente o presidente do Município, José Carlos Alexandrino, que apesar de reconhecer que estas intervenções vão causar alguns transtornos aos oliveirenses, entende todavia que são três empreitadas importantes e que há muito vêm sendo muito reivindicadas na cidade.

Alexandrino aponta nomeadamente o caso da zona histórica  que “muita gente reclamou mas ninguém foi capaz de arranjar verbas” para a sua requalificação. “Esta não será uma obra pacifica, mas se não a lançarmos perdemos o financiamento”, lembra o edil, adiantando que só a zona antiga de Oliveira representa um financiamento de mais de 3 milhões de euros, comparticipados em 85%.  Devido à sua complexidade a obra vai ser dividida e adjudicada por lotes (quatro), estando previstas intervenções quer no espaço público, quer nalgumas casas e terrenos privados que têm vindo a ser adquiridos nomeadamente para serem transformados em zonas de estacionamento e habitação para estudantes.

Apesar de ver agora lançado o concurso, o autarca reconhece que esta obra sofreu alguns atrasos relacionados com a escolha dos arquitetos, já que inicialmente era intenção do presidente entregar o projeto a um consórcio formado pelos vários gabinetes de arquitetura oliveirenses. “Passaram alguns meses e chegámos à conclusão que eles não se entendiam e tivemos de contratar alguém com experiência na requalificação deste tipo de espaços”, explica Alexandrino considerando que o trabalho agora liderado pelo Professor Jorge Carvalho, apesar de caro é um trabalho de grande qualidade e que é já reconhecido noutras autarquias pelo país fora.

Também o parque dos Marmelos vai ser alvo de intervenção, representando um investimento de 600 mil euros, que vai ser usado na reabilitação daquela área verde da cidade e na criação de um lago artificial. Igualmente reivindicado, nomeadamente pelos empresários e novos investidores locais, vai finalmente avançar o alargamento da zona industrial da cidade (do lado direito no sentido Oliveira/Chamusca), num investimento de 1,5 milhões de euros, faltando ainda adquirir alguns terrenos para o efeito. Alexandrino entende contudo que não deviam ficar à espera de fechar as todas as negociações, porquanto o financiamento poderia ficar em causa. “Se não adjudicarmos estas obras todas até 31 de Dezembro, a Câmara Municipal perde estas verbas”, garante o edil, para quem este foi um momento histórico vivido pelo seu executivo, mas que só poderá ser “festejado” quando as obras estiverem todas concluídas. Até lá “ainda vamos ter aqui mais alguns calvários”, afirmou , numa alusão aos problemas com as empreitadas atualmente em curso na cidade, nomeadamente a zona norte da cidade/central de camionagem e Av. Carlos Campos que têm estado a andar “a ritmo de caracol”.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.