Carta Aberta aos Simpatizantes do PPD-PSD

Luis Lagos

Caros simpatizantes do PPD -PSD;
Não podia começar estas palavras sem vos dizer que sou um convicto democrata-cristão, militante do CDS-PP. Mas acreditem que não é por isso que não tenho o maior respeito pelo PPD-PSD, pelos seus militantes, simpatizantes e por toda a sua história.
Digo-vos mesmo que nunca gostei de política na sua forma antagónica, de por estarmos de um lado termos de estar, obrigatoriamente, contra os outros. Acho que esse espirito é mesmo contraproducente e nunca ajuda um concelho, uma região ou um país a pular e avançar.
É por essa minha forma de estar na vida política que nunca me envergonhei de dizer no meu partido e fora dele que cresci a admirar Sá Carneiro e muitos outros políticos do PPD-PSD. Que olho para o PSD e para o CDS como o irmão mais velho e o irmão mais novo, com todas as qualidades e defeitos que implica ser mais velho e mais novo. Que tenho muito orgulho de também poder ser herdeiro político, em conjunto com todos vocês, da Aliança Democrática de Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa que ofereceu a Portugal, definitivamente, um tempo novo e uma nova esperança.
Agora, caros simpatizantes do PPD-PSD oliveirense, na minha qualidade de militante de base do CDS, não posso deixar de manifestar o maior e mais completo descontentamento, incompreensão e repúdio pelas palavras do líder da Comissão Política do PSD de Oliveira do Hospital ao referir-se, na passada edição do Folha do Centro, ao CDS como um partido que “está mais para agradar ao PS do que ao PSD” e que não há coligações com o CDS porque este “está mais interessado em manter o “status quo” existente”.
Tenho a certeza que a grande maioria de vós não se revê neste ignóbil ataque. Não se revê no estilo e muito menos no conteúdo. A grande maioria de vós, ao contrário do “líder” do PSD, sabe que o CDS não existe para agradar ao PS, mas também sabe e respeita que não existe para agradar ao PSD. Existe, no nosso concelho e no país, para agradar aos nossos concidadãos, com um projeto político capaz e, verdadeiramente, inovador como é o da candidatura do Engº Vasco Campos, em Oliveira do Hospital.
Quanto a coligações, também sabem, ao contrário do que parece saber o “líder” do PSD, que nunca as fazemos com meio PSD, mas só com o PSD inteiro. É uma regra que temos não para manter qualquer “status quo”, mas porque não se constrói um projeto político com lideranças que não tiveram arte e engenho para agregar todas as gentes do seu partido. Mais, se o “líder” local do PSD não tem capacidade para reunir todos os sociais-democratas oliveirenses à sua volta, por obra de quem acharia que o CDS se lhe devia agregar?
Caros simpatizantes do PSD, acho, sinceramente, até porque conheço e admiro muitos de vós, que não vale a pena esticar as palavras. Está tudo dito! Deixo-vos apenas um pedido: nas próximas eleições deem uma oportunidade ao CDS que, hoje e aqui em Oliveira do Hospital, tenham a certeza, tem mais espírito Sá Carneirista e social democrata que outras candidaturas que se afirmam herdeiras dessa linhagem política. Vocês sabem que, hoje e aqui em Oliveira do Hospital, a verdadeira alternativa no centro direita é a candidatura do CDS. É essa a que melhor vos representa.
Bem hajam,
Luís Lagos

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.