CAULE avança com cadastro da propriedade nos concelhos de Tábua, Arganil, Penacova e Santa Comba Dão

Folha do Centro - CAULE planta 75 mil árvores em área ardida em 2005

Associação Florestal da Beira Serra lidera projeto nas freguesias onde é entidade gestora de Zonas de Intervenção Florestal (ZIF).

A CAULE – Associação Florestal da Beira Serra, na qualidade de entidade gestora de Zonas de Intervenção Florestal (ZIF) nos concelhos de Tábua, Arganil, Penacova e Santa Comba Dão encontra-se a elaborar o Inventário da Estrutura da Propriedade, vulgarmente conhecido como cadastro simplificado da propriedade.

O projeto visa efetuar o levantamento dos prédios rústicos com identificação dos limites, marcos e extremas, com recurso a GPS, permitindo a identificação das propriedades de forma mais fácil e totalmente gratuita. Para tal estão a ser contactados todos os proprietários que com esta iniciativa passam a ter uma representação gráfica, em carta militar e fotografia aérea com a sua localização.

Vasco Campos, presidente executivo da CAULE, lembra a importância deste projeto avançar em várias freguesias daqueles quatro concelhos, depois de Oliveira do Hospital e Seia já terem concluído o cadastro da propriedade. “Estes levantamentos permitem-nos ficar a saber onde é que são as propriedades que é isso que é importante, porque não basta saber que tenho uma propriedade, é preciso saber onde é que ela está”, explica o dirigente florestal, fazendo notar que este “é o BI da propriedade”, permitindo situar cada parcela num determinado território.

Ao identificarem as suas parcelas, proprietários e produtores florestais podem assim valorizar as suas propriedades em futuras transações e também otimizar a sua gestão, “utilizando as ferramentas que estão ao dispor no âmbito das ZIF”, refere Vasco Campos, que aproveita para fazer um apelo aos proprietários no sentido de aderirem ao cadastro através da CAULE, uma vez que agora “não tem qualquer custo”.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.