CLDS de Tábua cria Mantas de Histórias sobre tradições do concelho

Folha do Centro - CLDS de Tábua cria Mantas de Histórias sobre tradições do concelho

O CLDS Tábua Caminha em Rede promoveu, no passado dia 22 de abril, uma sessão pública de apresentação de alguns trabalhos desenvolvidos pelos participantes das Academias Seniores de Candosa, Carapinha e Vila Nova de Oliveirinha.

Estas Academias, que tiveram início em setembro de 2011, procuraram ser espaços de partilha de experiências e saberes, onde cerca de 80 participantes puderam assistir à dinamização de quase uma centena de sessões sobre temáticas diversas.

Um dos últimos temas a ser trabalhado com os participantes das Academias Seniores foi o das Artes e Tradições. Com o objetivo de se valorizarem as tradições de cada uma destas freguesias, lançou-se o desafio aos participantes para selecionarem um tema, de modo a transpô-lo para uma manta. Ao longo de várias semanas, os participantes envolveram-se na criação de cada cenário e de cada personagem. Para isso, coseram, cortaram, colaram, partilhando saberes e recordações das estórias das gentes do concelho de Tábua.

Inspirado no projeto “Raconte-Tapis”, iniciado em França, nos anos 80, esta iniciativa do CLDS de Tábua trata-se de um projeto inovador, que associa sabedorias e conjuga metodologias, dando origem a uma ferramenta de trabalho que permite aproximar gerações e dar a conhecer histórias e estórias do concelho de Tábua.

O projeto Mantas de Histórias trata-se, portanto, de uma adaptação da metodologia tapetes de histórias. Neste caso é uma manta, e não um tapete, por vários motivos. Por um lado, porque, na tradição portuguesa, os avós contadores de histórias se sentavam à beira do lume, de manta sobre as pernas, com os netos à volta. Por outro lado, porque, um pouco por todo o país, nas salas dos Jardins de Infância, milhares de crianças em idade pré-escolar se sentam, “na manta”, para ouvir contar uma história. Para além disso, uma manta, como uma história, aconchega, aproximando gerações e mantendo vivos os saberes.

As histórias destas mantas não estão contadas em livros. Foram transmitidas oralmente pelos participantes de cada Academia Sénior e fazem parte da sabedoria popular oral do concelho de Tábua. Ao serem transformadas em manta, as histórias ficam registadas, não se perdendo com o passar dos anos.

As Mantas de Histórias contam três histórias distintas. A manta de Candosa, intitulada ”Do Barro da Minha Terra”, aborda a temática da olaria e revela alguns pormenores sobre a importância que o barro teve na vida das pessoas desta freguesia, sobretudo na primeira metade do século XX. “Do Pinhal da Carapinha” foi o nome escolhido pelos participantes da Academia Sénior da Carapinha para a sua Manta de Histórias, que dá a conhecer as profissões ligadas à floresta, como os resineiros e os serradores. Por fim, a Manta de Histórias de Vila Nova de Oliveirinha, com o título “Do Páteo dos Viscondes”, revela a origem e os detalhes das tradições associadas à Festa dos Carolos que se realiza anualmente nesta freguesia.

Pensadas para “miúdos e graúdos”, estas mantas podem ser contadas “no colo” ou “no chão”, por um ou vários contadores. Cada uma destas mantas é acompanhado por um dossier de apoio que, para além de uma contextualização da iniciativa e da caracterização do tema abordado na manta, fornece um guião para contar a história, podendo, depois, cada “contador”, ajustar-se ao seu público-alvo.

Estas mantas, que se apresentam como um contributo para se manterem vivas as estórias das gentes de Tábua, podem ser requisitadas na Biblioteca Municipal de Tábua.

O CLDS de Tábua, que tem como entidade coordenadora local da Parceria a Santa Casa da Misericórdia de Tábua e o Município de Tábua como a sua entidade promotora, congratula-se com esta iniciativa e agradece o envolvimento de todos os participantes e parceiros envolvidos.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.