Confraria dos bolos e dos licores nasce em Ervedal da Beira

Folha do Centro - Confraria dos Bolos realizou 1º Capítulo em Ervedal da Beira

Promover e perpetuar algumas das iguarias típicas da freguesia é o objetivo da nova associação que vai ser apresentada publicamente este domingo.

A ideia já andava a ser maturada há algum tempo, e prepara-se para vir a “lume”, este domingo, na freguesia de Ervedal da Beira, onde um grupo de amantes da gastronomia local decidiu avançar com a criação de uma confraria com o objetivo de “defender alguns produtos tradicionais desta zona”.

Batizada de Confraria do Bolos e dos Licores, a novel associação nasce essencialmente da ideia de promover e divulgar “produtos com uma longa tradição em Ervedal da Beira”, nomeadamente o famoso bolo finto, os matrucos (biscoitos), as broinhas, mas também os conhecidos e não menos apreciados licores de pera passa e de café.

Membro fundador da nova confraria e ervedalense de “gema”, Carlos Carvalheira, explica que a intenção é criar “uma identidade própria” em torno destas iguarias que, há muitos e muitos anos, são presença habitual na mesa e na casa de todos os ervedalenses. “O bolo finto é um bolo duro, confecionado à base de azeite, que é habitual todas as famílias terem em casa, sobretudo na Páscoa e em épocas festivas e é um bolo que não se vê por aí, por ser muito característico do Ervedal”, afirma o confrade que, além desta especialidade, pretende igualmente dar visibilidade aos outros bolos típicos da freguesia e aos licores: quer o licor de pera que é feito com uma variedade desta fruta que só existe nesta região – a pera passa – quer o licor de café, que é também afamado, pelo seu paladar único. Estes produtos vão estar disponíveis para degustação na apresentação marcada para domingo, onde os novos confrades, vão aproveitar para apresentar o plano de atividades para os próximos tempos, com destaque para a realização do primeiro capítulo da Confraria, que deverá coincidir com o calendário das festas do Ervedal e também as comemorações do dia do padroeiro da freguesia – o Santo André, a 30 de novembro.

Além destes eventos, a Confraria pretende avançar com um “registo escrito” onde deverá constar a história e as tradições em torno da confeção destes produtos, de forma a perpetuar estas receitas ancestrais para as gerações vindouras. “A ideia é que estas não se percam no tempo”, conta Carlos Carvalheira, que espera com esta nova confraria “poder estimular a comercialização destas iguarias”, que são, segundo o confrade, um símbolo gastronómico único desta freguesia. Daí “a nossa preocupação em explicar às pessoas que não queremos ser mais uma confraria para um grupo de rapazes e meninas bonitas andarem vestidos com umas capas”, garante, apostado no “saber preservar” e “saber divulgar” destes produtos tradicionais.

Para padrinhos de “batismo” da nova Confraria foi convidada a Confraria do Queijo Serra da Estrela, também com sede em Oliveira do Hospital e que é uma das mais antigas “embaixadoras” deste produto de excelência da região e único no mundo. “Este convite prende-se com o facto da Confraria do Queijo Serra da Estrela ser do nosso concelho, mas também porque o queijo Serra da Estrela casa muito bem com o nosso bolo finto”, atesta Carlos Carvalheira que, no próximo domingo, além de batizado se propõe apresentar ainda o “casamento perfeito” entre duas iguarias típicas da região. Os novos confrades deverão apresentar-se trajados a “rigor”, como manda a tradição, com capa e chapéu, inspirados nos produtos que vão jurar defender.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.