Continente e Pingo Doce brevemente em Oliveira do Hospital

Folha do Centro - Continente vai instalar-se em Oliveira do Hospital

Pedido de licenciamento do novo hipermercado da Sonae já deu entrada na Câmara Municipal.

O grupo Sonae vai avançar com a instalação de uma loja Continente na cidade de Oliveira do Hospital.

O pedido de licenciamento prévio da nova superfície comercial já deu entrada nos serviços técnicos da Câmara Municipal e deverá ficar implantada num terreno junto ao estádio municipal, numa área de cerca de oito mil metros quadrados que já é propriedade do grupo liderado por Belmiro de Azevedo.

A vinda de uma das mais antigas cadeias de hipermercados nacionais para Oliveira do Hospital foi já confirmada ao nosso jornal pelo próprio presidente do Município, José Carlos Alexandrino, que dá conta do pedido de licenciamento por parte daquele gigante da distribuição que, de resto, nunca “escondeu” o interesse em se implantar no concelho com a marca Continente, tendo já havido, no passado, pedidos de informação prévia junto dos serviços municipais.

O edil garante que apesar da preocupação já manifestada por alguns comerciantes locais, a Câmara Municipal “não pode impedir legalmente estes grupos de se instalarem no concelho”, e entende até que o novo híper pode beneficiar um conjunto de negócios. “Também percebemos que o Continente é uma marca de prestigio e que aqui na nossa zona não há nenhum, o que poderá ser uma mais valia para Oliveira do Hospital podendo alavancar um conjunto de pessoas, por isso temos de ver isto numa perspetiva diferente”, entende o autarca oliveirense, encarando o novo investimento da Sonae com “otimismo”. “Vejo os nossos pequenos e médios empresários preocupados com a instalação dessa grande superfície, de qualquer modo acho que pode fazer a diferença, pode vir a atrair mais pessoas e pode alavancar-nos outros negócios”, considera Alexandrino, fazendo notar que o posicionamento da Câmara Municipal nesta matéria, “pouco interessa”, uma vez que a instalação da nova superfície comercial é feita “ao abrigo da legislação vigente”. “A Câmara Municipal mesmo que quisesse impedir a sua instalação – o que também não é o caso- não podia impedir, porque tem de cumprir a lei”, garante o edil, aproveitando para sossegar o comércio local de Oliveira do Hospital, que, no seu entender, pode ganhar com a chegada à cidade de mais uma unidade de referência no setor do retalho alimentar.

O nosso jornal sabe que antes mesmo de avançar com o pedido de licenciamento de uma loja Continente, a Sonae Distribuição – empresa do Grupo que gere esta área de negócio- terá tentado negociar em regime de “franchising”, uma superfície comercial localizada no centro da cidade, pretendendo transformá-la no “Meu Super”, que é a marca das novas lojas de proximidade da Sonae, com dimensões entre os 100 e os 500m2, o que não se chegou a concretizar.

De uma penada, Belmiro de Azevedo, que foi homenageado no passado dia 7 com a medalha de ouro do Município, faz avançar em Oliveira do Hospital investimentos em áreas distintas do Grupo, tendo confirmado, no feriado do Município, a expansão da fábrica de aglomerados de madeira na Catraia de S. Paio, onde prevê gastar 50 milhões de euros.

Irmãos Gonçalves passam a Pingo Doce

Oliveira do Hospital deverá assistir nos próximos tempos a uma autêntica “revolução” no setor da distribuição. Um dos mais prestigiados supermercados da cidade – os “Irmãos Gonçalves” – que figura no top das maiores das empresas oliveirenses em volume de faturação e resultados líquidos, poderá, entretanto, ser vendido ao Pingo Doce, detido pelo grupo Jerónimo Martins.

Em declarações ao Folha do Centro, Rui Gonçalves, um dos sócios gerentes da empresa AMOL, confirma a existência de uma proposta por parte da Jerónimo Martins que, nos últimos meses, terá intensificado as negociações para a aquisição da mais “apetecível” loja da cidade, em regime de franchising. “Nesta altura tudo é possível” garante o empresário oliveirense, que não esconde ter recebido outras propostas, por parte de outras marcas conhecidas da distribuição. “Já não é a primeira vez que somos abordados pelo Pingo Doce, também tivemos propostas do grupo Sonae e do Auchan (Jumbo), com o qual mantemos há vários anos uma parceria, vendendo os seus produtos na nossa loja”, faz notar Rui Gonçalves para quem “ estar sozinho no mercado é cada vez mais difícil”.

“Nós devemos ser um caso de sucesso único a nível nacional”, considera o gerente que, apesar de ver vantagens no negócio como empresário, entende que “o consumidor e Oliveira do Hospital ficam a perder” com esta “troca”. “A mim não me faz diferença nenhuma, mas para o comércio local é complicado, porque nós temos aqui muitas pequenas empresas a trabalhar quase em exclusividade para nós”, adianta Rui Gonçalves, lembrando que além dos cerca de 80 colaboradores da empresa, os Irmãos Gonçalves dão indiretamente emprego a muita gente do concelho.

A vinda destas marcas não tem por isso, na visão do empresário, “nada de espetacular”, porque “nem o consumidor vai comprar mais barato em lado nenhum”, nem se “vai criar mais emprego”, além de que o que os oliveirenses “cá compram” nestas cadeias, “não fica cá”, refere o sócio gerente dos Irmãos Gonçalves, uma das “PME excelência” do concelho.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.