Direção cessante reage às “suspeições” levantadas pelos atuais dirigentes

Folha do Centro - Direção cessante reage às “suspeições” levantadas pelos atuais dirigentes

Bombeiros Voluntários de Lagares da Beira.

A direção cessante dos Bombeiros Voluntários de Lagares da Beira acaba de reagir às afirmações dos atuais dirigentes da instituição, sobre a situação financeira herdada no final de 2012, e que levou ao pedido de ajuda financeira ao Município no inicio deste ano. Num comunicado enviado à imprensa, os antigos diretores da Associação Humanitários dos Bombeiros Lagarenses lamentam a “atitude da atual direção na tentativa de denegrir a imagem e o trabalho que a direção cessante realizou”, nomeadamente ao ter lançado publicamente um “conjunto de especulações e suspeições que em nada correspondem à verdade e só servem para lançar a confusão nas populações”. Apesar de lembrar que aquela atitude “não é caso único, nem recente”, uma vez que “no passado as mesmas pessoas tiveram necessidade de criar conflitos constantes entre pessoas e instituições”, a direção cessante aproveita para esclarecer que “deixou a AHBVLB com o equilíbrio financeiro necessário para continuar a prestar um serviço de elevada qualidade à população, sendo mesmo uma das corporações do distrito de Coimbra, que melhores resultados financeiros tem apresentado”.  “Por essa razão não se percebe a atitude que a atual direção, recentemente empossada, tendo sistematicamente tomado”, pode ler-se no comunicado enviado aos órgãos de comunicação social e que promete agora ser difundido na freguesia, a repudiar as afirmações dos atuais diretores dos bombeiros. Em causa estão declarações do presidente António Maceira Gonçalves que fala em gestão “pouco cuidada” da instituição, a tal ponto de a sua direção já ter pedido a ajuda financeira da autarquia, para fazer face ao passivo de cerca de 70 mil euros herdado da direção cessante. Ora, ex diretores garantem que a situação financeira que deixaram não tem nada que ver com aquela que é relatada, dizendo mesmo ter cumprido até ao final do mandato “todos com os compromissos financeiros, nomeadamente com funcionários e bombeiros da corporação”, tendo conseguido até “diminuir a divida encontrada em 2008”.  Aliás, a direção cessante garante que a essa data a situação financeira é que era “muito preocupante”, com “um valor de divida elevado que nunca foi do nosso interesse divulgar”. “Importa recordar que só a divida referente ao fornecimento de combustíveis era de cerca de 47 mil euros, tendo sido encontradas também penhoras de elevado valor que transitaram de mandatos do atual presidente ” defendem-se os anteriores diretores, lembrando que esta situação também obrigou a vários pedidos de apoio financeiro por parte da Associação, ao Município e à própria tutela. Por tudo isto, a direção cessante lamenta a postura dos atuais diretores, fazendo votos para que “o clima de paz e harmonia que se viveu na instituição entre 2008 e 2012 tenha a devida continuidade”, o que segundo afirmam no comunicado, nem sempre aconteceu no passado, em que “alguns membros da atual direção criaram uma imagem negativa dos Bombeiros de Lagares da Beira, não só a nível local, mas também nacional”.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.