Docente da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra defende regionalização como única forma de salvar o interior

António Amaro foi um dos oradores convidados do debate “Reinventar o Interior: Homem, Natureza, Economia organizado pelo Departamento de Ciências Sociais e Humanas do AEOH e moderado por Vítor Neves.

O docente de História Económica da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, António Amaro, defendeu recentemente em Oliveira do Hospital, a regionalização como único modelo político capaz de, nesta altura, tirar o interior do ciclo de pobreza em que está a cair. O docente, que participava num debate promovido pelo Agrupamento de Escolas, no âmbito da segunda edição da Festa da Primavera, lamentou que 45 anos depois do 25 de Abril, o país esteja cada vez mais litoralizado e centralizado, e onde a coesão territorial é assegurada apenas pelo “excelente trabalho” desenvolvido pelas estruturas de poder local.

“As autarquias desenvolvem um grande trabalho de proximidade, senão ainda estaríamos bem pior”, constatou, não tendo dúvidas em afirmar que o país, sobretudo as regiões do interior, precisam de um “sobressalto político para mudarem o seu modelo de desenvolvimento”. “A regionalização não é a panaceia para todos os problemas, mas muito pouco se poderá fazer, tal é a dimensão das assimetrias, se a regionalização não avançar”, assegurou, deixando claro que não são necessários mais diagnósticos, mas sim políticas concretas que garantam maior coesão do território.

O Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital justifica a realização  deste debate, precisamente com a constatação do despovoamento desta área do interior do país que não tem parado de perder dinamismo socioeconómico e população, nos últimos anos. Situação que foi agravada com a ocorrência dos incêndios e com as consequências deles decorrentes.

Foram intervenientes no debate os  Professores Lúcio Cunha – Geografia Física (FLUC); João Luís Fernandes – Geografia Humana e Geografia do Turismo (FLUC), António Amaro – História Económica  (FEUC) e um representante  do CISE.

O debate contou com a moderação pelo conhecido comunicador Vítor Neves.

Convidamos todos à participação.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.