Empresário aposta em plantação de frutos vermelhos em Tábua

Folha do Centro - Empresário aposta em plantação de frutos vermelhos em Tábua

Investimento ronda os 400 mil euros e estará concluído até ao final do primeiro trimestre de 2014.

400 mil euros é quanto o empresário tabuense, Nuno Tavares Pereira, prevê investir numa plantação de mirtilo e groselha, numa propriedade situada na Venda do Porco, concelho de Tábua. Co financiado pelo programa de apoio a jovens agricultores, o projeto prevê a plantação destes dois frutos silvestres numa área de cerca de 5,1 hectares da quinta, que tem ao todo 50 hectares de terreno.

As primeiras plantações deverão começar a ser feitas ainda em outubro, prevendo-se que estejam concluídas até fevereiro/ março do próximo ano, a tempo, segundo Nuno Tavares Pereira, das primeiras colheitas em maio. “Vamos ter ainda uma pequena produção, uma coisa mínima, uma vez que só no terceiro ano é que entramos em velocidade de cruzeiro”, aponta o jovem empresário que decidiu apostar em novas culturas na região, tendo em conta aquilo que é “a procura cada vez maior destes frutos pelos mercados”. “O mirtilo é um fruto muito bom, segundo os especialistas é dos frutos com mais anti oxidantes, tem propriedades anti cancerígenas, e previne ainda muitas outras doenças”, refere o investidor, lembrando que a sua procura tem vindo a aumentar quer no mercado nacional, quer no mercado europeu, que há muito utiliza o mirtilo para fins não apenas alimentares mas também com objetivo terapêuticos, nomeadamente para a composição de medicamentos e produtos de dermocosmética. “Existe mercado em Portugal, nós hoje vemos este fruto à venda com frequência em todas as cadeias de supermercados”, constata Nuno Pereira, apostado igualmente na exportação sobretudo para os países nórdicos que têm já uma grande tradição de consumo destes produtos.

Apesar da procura crescente do mirtilo, o empresário garante que o projeto que agora inicia quer “evitar que a maioria da produção seja vendida apenas como fruta”, pretendendo sobretudo “valorizar este fruto”, através da sua transformação noutros produtos, designadamente compotas, chás, sumos, e até “vinho feito a partir de mirtilo queremos lançar”, conta o investidor, empenhado numa parceria com uma grande cadeia de “fastfood”para a introdução no seu menu de um “gelado de mirtilo”. “É um fruto que tem um potencial enorme e nós queremos transformá-lo e dar-lhe algum valor acrescentado”, relata, prevendo a criação de uma marca própria para a sua comercialização.

Além da plantação de mirtilo e groselha que vão começar “a dar frutos” já em 2014, Nuno Tavares Pereira prevê ainda apostar, numa segunda fase, na plantação de medronho, também com um investimento estimado na ordem dos 400 mil euros. “Trata de um fruto típico desta região e que tem também um grande potencial”, assegura o empresário prevendo, quando a produção atingir o pico daqui a três anos, criar algumas dezenas de postos de trabalho, pelo menos, na “época da apanha” entre maio e setembro.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.