“Estão a ser crucificados”

Alexandrino

Alexandrino solidário com autarcas que vão a tribunal por causa das mortes nos incêndios de Pedrogão.

O presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital mostrou-se solidário com os autarcas que são arguidos no caso das mortes nos incêndios de Pedrogão em 2017, e fez questão de enviar, a partir da EXPOH, um “grande abraço” a todos os colegas e alguns ex autarcas que estão acusados neste processo, nomeadamente o presidente de Pedrógão Grande, mas também para os ex presidentes de Castanheira de Pera e Figueiró do Vinhos, que segundo José Carlos Alexandrino, estão a ser usados como “bodes expiatórios” para “justificar aquilo que não era possível”.“ Não havia nenhum limite de 10 metros que evitasse aquelas mortes”, referiu o edil, visivelmente revoltado, considerando que aqueles autarcas “estão a ser crucificados” por uma questão que era “impensável”.

“Aqui em Oliveira do Hospital aconteceu o mesmo, nós poderíamos ter limpezas de 100 metros, que arderam casas com tudo limpo à volta, arderam casas no meio das povoações”, constatou, fazendo ver, além disso, que as Câmaras não tinham orçamento para as limpezas dos terrenos. “ Estes autarcas estão a ser crucificados, por uma questão que nos deve revoltar a todos”, entende Alexandrino, lamentando que aqueles homens, que “são autarcas, que serviram os seus povos com orçamentos e dificuldades, e que hoje aquelas famílias estejam a sofrer sem saberem o que lhes vai  acontecer amanhã”.

Testemunha do ex presidente de Castanheira de Pêra, o presidente da Câmara de Oliveira do Hospital e também líder da CIM Região de Coimbra, aproveitou o momento, que era de festa no seu concelho para endereçar um “abraço solidário” aos colegas e ex colegas, que estão a viver uma fase  difícil das suas vidas.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.