“Estendal dos Direitos” sensibiliza para os direitos das crianças e jovens

Estendal dos Direitos_1

A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Oliveira do Hospital encontra-se a dinamizar a iniciativa “Estendal dos Direitos” junto dos alunos do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital (AEOH). Trata-se de uma campanha realizada a nível nacional, pela Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens, à qual a estrutura oliveirense se associou, e que assinala o 28.º aniversário da Convenção sobre os Direitos da Criança – que assenta em quatro pilares relacionados com todos os outros direitos das crianças: Não Discriminação; Interesse Superior; Participação e Sobrevivência e Desenvolvimento.

Neste sentido,  a CPCJ de Oliveira do Hospital desafiou os alunos do AEOH a elaborar trabalhos sobre a temática, na sequência também das comemorações da iniciativa “Abril: Mês da Prevenção dos Maus Tratos na Infância”, que integram esta exposição.

Após a primeira apresentação na sede do Agrupamento, o “Estendal dos Direitos” encontra-se agora em itinerância de forma a percorrer todas as escolas do concelho sensibilizando todos os alunos e respetiva comunidade. De referir também que com a colaboração da ARCIAL é dinamizado um flash mob, nas Escolas Básicas Integradas do Agrupamento de Escolas, constituindo mais um momento integrador e de sensibilização para o conjunto de direitos fundamentais das crianças. Posteriormente, os trabalhos que integram o “Estendal dos Direitos” de Oliveira do Hospital estarão presentes na mostra do projeto Tecer a Prevenção, a realizar entre 21 e 23 de maio, no Encontro Nacional das CPCJ, na Figueira da Foz.

A campanha “Estendal dos Direitos” pretende envolver organizações e cidadãos, através da exposição de mensagens sobre os Direitos da Criança no espaço público, com os seguintes objetivos: aumentar a consciência pública acerca da Convenção sobre os Direitos da Criança; aumentar a consciência das crianças e jovens sobre os seus direitos; e facilitar a integração plena das crianças e jovens no processo de desenvolvimento dos seus direitos.

Sobre estas ações o presidente da CPCJ de Oliveira do Hospital, José Francisco Rolo, refere “é obrigação das Comissões lançarem todas as iniciativas que promovam a prevenção e que alarguem a proteção a todas as crianças, envolvendo a comunidade. Queremos, com estas ações na escola, que as mensagens interpelem os cidadãos e as famílias.” “O objetivo é proteger, e para isso é necessário dedicar tempo, dedicar atenção, dedicar cuidado – tempo, atenção e cuidado são ações chave”, acrescenta.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.