Idosa morre afogada em fontanário em Pinheirinho

Folha do Centro - Idosa morre afogada em fontenário em Pinheirinho

Octogenária “sofria” de solidão.

É mais uma morte com contornos estranhos. Uma mulher de 85 anos residente em Pinheirinho, freguesia de Lourosa, foi encontrada já sem vida, por volta das 9 horas da manhã, num fontanário da aldeia. O alerta foi dado pelos populares que ao se aperceberem de alguns objetos pessoais da idosa ao cimo das escadas da fonte – a bengala e uns chinelos – aproximaram-se do local, tendo dado com o corpo a boiar dentro da água. Maria Assunção Alves tinha ficado viúva há cerca de meio ano, facto que, segundo os vizinhos, ajuda a explicar o que aconteceu, já que “desde que o homem morreu a mulher andava desorientada“, manifestando, por diversas vezes, a sua tristeza e falta de vontade de viver. A octogenária residia sozinha, poiso único filho que tinha vive em Lisboa, e segundo as pessoas mais próximas, raramente vinha visitar a mãe. “Eles eram muito agarrados um ao outro e quando ele morreu ela andava isso terá mexido com a senhora, porque ela vivia com todas as condições, não lhe faltava nada”, relata o presidente da Junta de Freguesia de Lourosa, chocado com as circunstâncias da morte da idosa, ainda que não se possa dizer que foi uma total surpresa, pois “ela andava sempre a dizer: um dia destes eu mato-me, eu mato-me”. Apesar de ter muitos vizinhos por perto, a idosa terá sido incapaz de lidar com a perda da única companhia que tinha – o marido – e fez “aquela asneira”, tendo-se atirado para o pequeno taque onde cai a água da fonte, morrendo afogada. “Ora se ela tinha água ao domicílio e tudo, é pouco provável que fosse à fonte para apanhar água e tivesse caído”, refere o presidente da Junta, acreditando mais na versão do “desespero da senhora”.

Foto: CentroTV

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.