Iniciativa “Peça do Mês” para conhecer no Museu Municipal Dr. António Simões Saraiva

Peça do Mês

“A Peça do Mês” é o mote da nova iniciativa que o Município de Oliveira do Hospital acaba de lançar e que visa valorizar o espólio do Museu Municipal Dr. António Simões Saraiva, na Bobadela. Tal como o nome indica, mensalmente será conferido destaque a um objeto diferente do acervo deste Museu Municipal.

Neste mês de janeiro, que marca o início da iniciativa, a escolha para “Peça do Mês” recai sobre a  obra “O Lobo e o Cordeiro”, uma escultura em madeira da autoria de Zeferino Monteiro, artista local. Natural de Meruge, Zeferino Monteiro é conhecido pelas suas esculturas em diferentes materiais, como a madeira e a pedra, e possui uma sala dedicada às suas esculturas em madeira no Museu Municipal Dr. António Simões Saraiva.

Mensalmente será dado a conhecer um objeto diferente do acervo do Museu Municipal sendo esta também uma forma de aproximar a população e os visitantes deste espaço e potenciar as visitas neste espaço museológico. Nesse sentido, a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital dirige o convite a todos os interessados para que ao longo deste novo ano façam uma visita a este Museu conhecendo a qualidade e diversidade do seu acervo.

O Museu Municipal Dr. António Simões Saraiva, na Bobadela, ocupa o antigo solar onde viveu, no princípio do século XIX, o general Gomes Freire de Andrade, e é guardião de obras de arte e coleções de teor etnográfico, oferecendo ao visitante uma verdadeira viagem no tempo. O Museu é constituído por uma diversidade de espaços: tem uma sala dedicada à escultura de mestres como Simões de Almeida, Soares dos Reis, entre outros; uma sala dedicada a esculturas em madeira do escultor concelhio, Zeferino Monteiro; uma sala dedicada a Macau; salas com a reconstituição de espaços como o gabinete de trabalho de Brás Garcia de Mascarenhas e o antigo Tribunal de Oliveira do Hospital, bem como a reconstituição dos trajes e principais ofícios e atividades económicas da região nos finais do século XIX e primeira metade do século XX. Encontram-se, ainda, esculturas de arte sacra, e uma sala de estar e uma sala de jantar decoradas com as características da época Romântica.

Ao longo do ano, fique atento à “Peça do Mês” em destaque e visite este espaço museológico que além do espólio da exposição permanente, acolhe também diferentes exposições temporárias. Neste mês de janeiro está patente “A Monarquia Portuguesa e o Regicídio” no âmbito das comemorações dos 110 anos do Regicídio – que pode ser apreciada durante o horário de funcionamento: quarta a sexta-feira das 14H00 às 17H00; sábados e domingos das 10H00 às 12H00 e das 14H00 às 17H00.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.