João Dinis entende que “Ministro do Planeamento e das Infraestruturas faz «frete» ao PS em Oliveira do Hospital”

Folha do Centro - Requalificação da EN17 vai finalmente avançar

PSD também critica “festa à volta da assinatura da requalificação da Nacional 17”.

João Dinis, porta-voz da CDU no concelho reagiu, através de comunicado, à visita recente do Ministro do Planeamento e das Infraestruturas a Oliveira do Hospital, mostrando-se cético sobre o avanço do IC6.

«A ainda recente deslocação do Ministro do Planeamento e das Infraestruturas até Oliveira do Hospital, assume, claramente, contornos de “frete” político-partidário ao PS, a pretexto da adjudicação da obra de algumas melhorias na EN 17, esta a “velha” Estrada da Beira.

Entretanto, é conhecida a situação de “incómodo” político-partidário provocado dentro do PS pelo “abortado” avanço do Itinerário Complementar 6 – o IC 6 – para dentro do concelho de Oliveira do Hospital. Esta é, aliás, uma situação que já se arrasta há vários anos em que atravessou governos do PS e governos do PSD e CDS/PP sem que fosse resolvida a contento como reclamam os interesses das Populações e desta Região.

Nesse contexto, o atual Presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital insiste em fazer depender, desse avanço do IC 6 no terreno, a sua recandidatura à Câmara, pelo PS, nas eleições autárquicas que se vão realizar este ano de 2017 (em Setembro ou Outubro).

É pois debaixo dessa “pressão” partidária – em que já estão a ser utilizados, antidemocraticamente, o Aparelho e os recursos do Estado – que o PS fez deslocar a Oliveira do Hospital o Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, para aqui assinar o chamado “auto de consignação” das obras de recuperação da EN 17. São obras que, embora importantes para nós, de facto, não passam de um “pequeno” projeto para 2, 2 milhões de euros, segundo a Comunicação Social. Aliás, a EN 17 precisa de muito mais do que isso para ter melhorias significativas no seu traçado.

Porém, quanto ao avanço do IC 6, o Ministro teve de assumir que não há prazo previsível para isso porque nem é assunto de facto “estratégico” nem, a curto ou até a médio prazos, haverá verbas em Orçamentos de Estado Nacionais para o efeito. Enfim, o Ministro lá tentou “encanar a perna à rã” ao remeter o problema para (mais) uns “estudos de impacto”, e anteprojetos, e “blá-blá-blá”…

O atual presidente da Câmara ouviu, e agora? Vai ou não assumir a sua “promessa” quanto à sua não-recandidatura pelo PS? Note-se que, ao que agora foi confirmado, não vai haver avanço do IC 6, no terreno, nos próximos tempos!

De qualquer forma, de muito pouco adiantaria rasgar-se mais um (pequeno) troço do IC 6 somente até dentro de Oliveira do Hospital sem lhe dar imediato seguimento até Seia e Celorico da Beira, até à A 25. A jusante do IC 6, também são necessárias obras de correção ao IP 3, pelo menos entre a A 1 (Coimbra Norte) e Porto da Raiva (de onde sai o IC 6).

Entretanto, muito convém que a Câmara Municipal faça melhor manutenção de várias Estradas Municipais, desde logo no avivar das marcações horizontais no pavimento. Tal como estão tais marcações, desmaiadas ou desaparecidas, potenciam acidentes de viação.

“Bónus orçamental” de 50 mil euros para 2017  poderá ser utilizado pela Câmara na prevenção de acidentes rodoviários 

Soube-se agora que o Governo vai transferir para as Câmaras Municipais, em 2017, uma verba não prevista até há pouco tempo, e a pretexto de uns “acertos de contas” com o imposto IMI que reverte para os Municípios.

Ao concelho de Oliveira do Hospital cabe um pouco mais de 50 mil euros, assim como se fosse um inesperado “bónus orçamental”…

C D U propõe que essa verba dos 50 mil euros possa ser utilizada pela Câmara, precisamente, no avivar das marcações horizontais no pavimento das Estradas Municipais que disso (ou de outra manutenção expedita) estejam necessitadas. Trata-se de prevenir acidentes rodoviários e suas consequências dramáticas quando não trágicas!”.

 

Também o PSD concelhio reagiu aquilo que rotulou de “mais uma festa desenrolada à volta da assinatura da requalificação da Nacional 17”, protagonizada pelo presidente da Câmara Municipal, José Carlos Alexandrino, e o Ministro do Planeamento e questiona o Governo dos motivos que levaram ao atraso na adjudicação das obras na EN17, quando estas já tinham sido anunciadas em 2015.

Num comunicado enviado à imprensa, o presidente da Concelhia acusa de resto o PS de “no anterior quadro comunitário e quando havia dinheiro para se concretizar o IC6, tendo à data um governante natural de Oliveira do Hospital”, o IC6 não tenha saído do papel, pelo que, aconselha agora prudência a Governo e ao autarca oliveirense em matéria de “promessas” sobre vias rodoviárias, uma vez que estas “não são possíveis de cabimentar em sede de quadro comunitário, tal como aconteceu em governos anteriores”.

“Resta-nos, mais uma vez, alertar todos os Oliveirenses para as falácias mascaradas de festividades que se vão cometendo neste concelho pelos seus responsáveis”, entende a Comissão Política Social Democrata, referindo -se “às promessas que são proferidas sobre o IC6 pelo senhor presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital”, pois “desde a sua primeira candidatura que assistimos a declarações exuberantes, propagandistas e demonstrativas das suas boas relações com a nata do Governo (mesmo quando este era da oposição), sem quaisquer resultados práticos para o nosso concelho”.

Dizendo-se atentos a todo este processo, nomeadamente ao facto de Alexandrino fazer depender a sua recandidatura da construção do IC6, o PSD local espera que “com o alarido criado à volta da requalificação da Nacional 17, não esteja o senhor Presidente da Câmara a tentar vender à população gato por lebre”.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.