José Carlos Alexandrino conquista nova maioria histórica para o PS

resultados autárquicas OH

Partido Socialista elegeu seis vereadores contra um do PSD, que foi o grande derrotado da noite eleitoral no concelho.

O PS pediu e os oliveirenses voltaram a dar a José Carlos Alexandrino uma vitória esmagadora. Há oito anos a liderar os destinos do concelho, o presidente da Câmara reeleito voltou a alcançar novos resultados históricos, ultrapassando mesmo os 8400 votos obtidos há quatro anos, deixando novamente o principal partido da oposição, o PSD reduzido a um mandato na Câmara Municipal.

Uma “confiança” que José Carlos Alexandrino fez questão de agradecer logo nas primeiras palavras que dirigiu às centenas de oliveirenses que ontem se concentraram junto à sua sede de campanha, na cidade de Oliveira do Hospital, para festejar mais uma vitória autárquica, que só não foi em toda a “linha” uma vez que duas juntas de freguesia – Avô e Santa Ovaia, “fugiram” para o PSD.

O mesmo PSD, nomeadamente o mentor da sua candidatura – o antigo presidente da Câmara Mário Alves – que Alexandrino elegeu como “o grande derrotado da noite eleitoral”. “Andou escondido, mas os oliveirenses mostraram-lhe com estes resultados que têm memória” e que “não se esqueceram que foram eles que atrasaram o concelho”. “O concelho deixou de ser um concelho de um homem só, para ser o concelho de todos”, e “há oito anos que quis mudar de rumo”, lembrou o presidente reeleito, voltando a acusar o PSD de ter tido um candidato virtual nestas eleições.

“As calúnias estão esclarecidas, eles disseram que queriam acabar com os sábios na Câmara Municipal, com esta votação nós acabamos com os ignorantes”, contra atacou, prometendo continuar com a mesma filosofia que o norteou até aqui, de defender “os mais frágeis e desprotegidos da sociedade”.

Renovando o compromisso de “continuar a receber toda a gente como até aqui” e de colocar os interesses do concelho “acima de qualquer partido”, Alexandrino elegeu como prioridade do novo mandato a resolução dos problemas da saúde, prometendo “uma grande luta” para Oliveira do Hospital ter um serviço de urgências como deve ser, a funcionar 24 horas, deixando ainda a garantia de “não deixar cair a luta pela conclusão do IC6”.

Grande derrotado da noite, o candidato do PSD, João Paulo Albuquerque não escondia a “desilusão” com os resultados obtidos pelo partido, confessando mesmo estar à espera de “melhor” e da conquista de pelo menos “mais duas juntas de freguesia”. Ainda assim, e depois de não ter conseguido descolar o partido do desaire de há quatro anos, Albuquerque promete assumir “até ao fim” o lugar de vereador na Câmara Municipal, esperando que o PS seja “um pouco mais democrático” a partir de agora do que foi em campanha.

Já o CDS/PP reforçou a votação de 2013, ficando ainda assim por cumprir um dos objetivos da campanha que era a eleição de um vereador. A candidatura liderada por Nuno Alves consegue, todavia, a eleição de dois mandatos à Assembleia Municipal, alargando ainda a representatividade em praticamente todas as freguesias do concelho. “Fizemos crescer o partido, sabíamos que estávamos a lutar contra o candidato mais forte de sempre, mas fizemos o nosso trabalho e não tivemos medo” afirmou Nuno Alves, acompanhado do primeiro eleito à Assembleia Municipal, Luís Lagos, que vê alargada a bancada do CDS, com a sua reeleição e a eleição do número dois da lista, Rafael Dias.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.