Jovem de Lagares da Beira, bombeiro em Vila Nova de Oliveirinha, morreu em acidente em Tábua

Acidente IC6

Homem de 47 anos, que seguia noutra viatura, também não resistiu à gravidade dos ferimentos.

A manhã do dia 9 de julho foi fatal para José Marques, o jovem de 25 anos, de Lagares da Beira, que morreu quando se dirigia para o emprego, em Tábua. A viatura em que seguia colidiu com um veículo que circulava em sentido contrário, e o acidente resultou na sua morte, assim como na do homem de 47 anos, de Tondela, que seguia ao volante do outro carro.

O acidente ocorreu pouco depois das 08h00, na variante de Tábua- Candosa, à saída do IC6. João Correia, adjunto de comando dos Bombeiros Voluntários de Tábua, adiantou que à chegada da equipa de socorro ao local se deparou “com duas viaturas fora da faixa de rodagem, duas vítimas encarceradas, em paragem cardiorrespiratória”. João Correia referiu que o óbito dos dois condutores “foi confirmado no local”, tratando-se de José Marques, um jovem de “25 anos, que residia na zona da Bobadela”, no concelho de Oliveira do Hospital, e de um homem que “tinha 47 anos e residia em Tondela”, e que seguia ao volante de uma viatura de serviço da conhecida empresa Beiragel. Adiantou, que a vítima de 25 anos era bombeiro na corporação de Vila Nova de Oliveirinha (Tábua). “Era nosso colega”, lamentou.

No local do acidente, que esteve vedado ao trânsito durante cerca de cinco horas, abundavam os vestígios dos dois automóveis, incluindo o motor que se desintegrou de uma das viaturas. “Devido à deformação de ambas as viaturas foi um choque de grande violência”, constatou João Correia.

De acordo com o responsável, acorreram ao local 26 operacionais, apoiados por sete viaturas. No trabalho de desencarceramento das vítimas, a corporação de Tábua contou com o apoio dos Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Oliveirinha, tendo também acorrido ao local a VMER de Santa Comba Dão e a SIV de Arganil.

Bombeiros de Vila Nova de Oliveirinha consternados

A morte José Marques foi motivo de grande consternação na corporação de Vila Nova de Oliveirinha, de que fazia parte. Para Vítor Melo, presidente da direção, a morte deste jovem representa “uma perda muito grande”. “O José nunca vai deixar de estar entre nós. Só fisicamente”, assegurou o presidente da direção Vítor Melo, que recorda o jovem como uma “pessoa muito acarinhada e de fácil trato”. “Vai deixar-nos muitas saudades. Pessoas destas é difícil de encontrar na sociedade, em que os jovens mais facilmente optam por outros caminhos, que não o voluntariado. Era muito responsável. Havia um afeto enorme”, disse Vítor Melo, dando conta de que também a esposa é bombeira da corporação e “vai continuar” entre a família dos bombeiros de Vila Nova de Oliveirinha.

O sentimento de consternação tomou, igualmente, conta da população de Lagares da Beira, freguesia de onde José Marques era natural, assim como das gentes do concelho de Oliveira do Hospital.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.