Mário Loureiro é o novo presidente da Associação de Municípios do Planalto Beirão

Folha do Centro - Mário Loureiro é o novo presidente da Associação de Municípios do Planalto Beirão

Presidente da Câmara de Tábua foi eleito.

O presidente da Câmara de Tábua é o senhor que se segue à frente da Associação de Municípios do Planalto Beirão. Mário Loureiro foi escolhido entre os 19 municípios que fazem parte daquela associação, sucedendo assim ao presidente da Câmara de S. Pedro do Sul que liderou nos últimos anos esta organização responsável pela recolha e tratamento de resíduos sólidos urbanos em concelhos da região de Viseu, Coimbra e Guarda.

A acompanhá-lo no conselho executivo, como vogais,  encontram-se ainda os presidentes de Câmara de Tondela, Carregal do Sal, Santa Comba Dão e Mortágua, ou seja, o grupo de municípios que esteve na génese da criação da Associação do Planalto Beirão e aquele que constituiu a empresa Águas do Planalto, que detém a concessão do abastecimento de água às populações daqueles cinco concelhos.

Consciente do novo desafio que tem pela frente, Mário Loureiro promete trabalhar no sentido de “melhorar a qualidade” do serviço de recolha de lixos nos 19 concelhos que representa, apostando ao mesmo tempo numa redução dos custos para os municípios. “Já temos um bom serviço mas podemos melhorá-lo ainda mais”, entende o novo presidente do Planalto Beirão, para quem “é importante que este sistema funcione bem, na medida em que está em causa o ambiente e a qualidade de vida das pessoas”.

A nova central de valorização orgânica, que se prevê possa começar a funcionar ainda este ano, representa um dos mais recentes grandes investimentos da associação, rondando os 100 milhões de euros, e vai permitir, segundo Mário Loureiro, o tratamento dos resíduos para produção de energia. Apesar dos números gigantescos que o Planalto Beirão já movimenta – em 2012 atingiu as cerca  de 130 mil toneladas de lixo, o novo presidente garante que está é uma associação estabilizada em termos financeiros, uma vez que “se conseguiu fazer uma recuperação significativa” em relação às dívidas de alguns municípios. “Temos algumas situações com algum atraso, mas todos têm de fazer alguns sacrifícios para cumprir”, diz o autarca, apostado em otimizar a gestão da associação, quer em termos financeiros, quer em termos ambientais, de forma a “beneficiar” os municípios que a integram.

Mesmo não estando previsto qualquer aumento do custo do serviço para os municípios, Mário Loureiro não tem dúvidas que, por uma questão de sustentabilidade, “algumas câmaras terão de atualizar as suas tarifas”, até para poderem pagar a fatura a tempo e horas à associação. Da parte do Planalto Beirão para já fica o compromisso da nova direção de trabalhar por um melhor serviço ao mais baixo custo.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.