Ministro da Saúde inaugurou Unidade de Saúde em Ervedal da Beira

US-Ervedal-810x379_c

Obra custou cerca de 400 mil Euros.

O Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, inaugurou em Ervedal da Beira a nova Unidade de Saúde. A obra que custou cerca de 400 mil Euros representa a melhoria da prestação dos cuidados de saúde primários para os cerca de 1500 utentes inscritos.

Há já vários anos que a população da União de Freguesias de Ervedal e Vila Franca da Beira reclamava por uma nova Unidade de Saúde. A inauguração do espaço construído de raiz aconteceu no passado dia 9 de março e é resultado do financiamento comunitário, em 85 por cento, e do esforço do município de Oliveira do Hospital que assegurou os restantes 15 por cento.

Já no interior de uma nova e moderna Unidade de Saúde, o presidente da União de Freguesias, destacou “a coragem e a esperança”, que tornaram possível a sua concretização, a que se juntou o empenho do presidente da Câmara Municipal que “foi determinante”. Carlos Maia, não deixou de expressar a sua preocupação com a colocação de clínicos no espaço. Lembrou, que a antiga extensão de saúde já contou com dois médicos, mas agora só conta com um clínico que caminha para a aposentação. “Ninguém entenderia que com estas instalações, nós não tivéssemos a continuidade dos serviços primários de saúde a ser garantidos às pessoas”, referiu.

O presidente da Câmara Municipal elogiou o trabalho feito pelo governante e em particular a “solução” que encontrou para a saúde em Oliveira do Hospital, ao passar as urgências à noite, fins de semana e feriados para o hospital da Fundação Aurélio Amaro Dinis (FAAD). José Carlos Alexandrino lembrou, porém, ao governante que Oliveira do Hospital precisa de mais médicos, verificando que as consultas de intersubstituição em funcionamento no Centro de Saúde “não são suficientes” para dar reposta aos oliveirenses.

Adalberto Campos Fernandes garantiu que o governo tudo fará “com imaginação”, com “engenho e arte”, tal como aconteceu com a colaboração com a FAAD,  “para que as pessoas tenham aquilo que merecem, o nosso respeito”. “Estou trabalhar para os seus munícipes” e dos vários pontos do país afetados pelos incêndios, que depois destes incidentes “passaram a ser olhados de outra maneira”, referiu o ministro da Saúde, mostrando-se confiante na colocação de dois médicos no concelho por via de novo concurso.

No concelho oliveirense, o governante disse já ter dado indicações à presidente da Administração Regional de Saúde do Centro, Rosa Reis Marques, para “trabalhar a proximidade”. “Fazemos tudo o que pudermos, mas precisamos do apoio e alianças com as autarquias”.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.