Misericórdia de Galizes “mais próxima da comunidade” com nova valência e comemoração dos 350 anos em 2018

Mais Misericórdia Galizes1

Mais Misericórdia2A Gala Dr. António Vaz Patto, serviu de mostra, no primeiro domingo de dezembro, ao trabalho desenvolvido pela Santa Casa da Misericórdia de Galizes ao longo do ano. Porém, a instituição que é “uma referência no apoio à deficiência” prepara-se para, em 2018, avançar com uma nova valência, o Centro de Acolhimento Temporário para a Deficiência, e comemorar os 350 anos da Misericórdia.

Música, dança e teatro foram algumas das componentes de mais uma Gala Dr. António Vaz Patto. Bruno Miranda, provedor da Misericórdia diz ser esta uma forma de a instituição “chegar à comunidade”. Na quinta edição da iniciativa, ficou contudo de parte o habitual reconhecimento a entidades, empresas e colaboradores. “Este ano o único reconhecimento prestado foi para com a Associação do Maior Incêndio de Sempre em Portugal”, referiu o provedor.

Assim aconteceu devido ao trágico de incêndio de 15 de outubro, que também levou a Misericórdia a apoiar “dentro das possibilidades, todos os que lhe batem à porta. “A Misericórdia disponibilizou-se para receber pessoas que ficaram sem habitação e estamos, pontualmente, sempre disponíveis para auxiliar os que precisam de ajuda”, refere Bruno Miranda, certo de que “o grande apoio vai ser necessário após a recuperação das habitações e ao longo do tempo, a médio e longo prazo”.

Um apoio que decorre do espírito de missão da Misericórdia, que é hoje “uma instituição de referência” ao nível da deficiência, mas também da infância e terceira idade. “Atingimos uma comunidade muito grande”, nota o provedor estimando que, por dia, com todos os serviços abertos à comunidade, como farmácia, posto de correios, Centro de Medicina Física e Reabilitação e Health Club, a Misericórdia apoie uma comunidade rondar “as 800 pessoas”.

Na contagem decrescente para o arranque das comemorações dos 350 anos da instituição, a Misericórdia tem em vista novos projetos, como é o caso do Centro de Acolhimento Temporário para a Deficiência, que avançará em 2018, assim como um pequeno núcleo museológico e uma quinta pedagógica na Casa S. João de Deus. As comemorações dos 350 anos arrancam em janeiro e, segundo Bruno Miranda, ficarão marcadas por várias atividades que “envolvem toda a comunidade”. “A ideia é aumentar os índices de felicidade após os incêndios”, refere.

A Santa casa da Misericórdia de Galizes divide os seus serviços entre a casa mãe, a Casa S. João de Deus, e o novo espaço, o lar Nª Srª da Visitação que dispõe de “condições ótimas”. Conta com 83 utentes em lar residencial, 40 em Centro de Atividades Ocupacionais. Na valência de creche, conta com 33 crianças.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.