Município de Oliveira aposta na expansão do medronheiro

Folha do Centro - Município de Oliveira aposta na expansão do medronheiro

Confraria do Medronho realizou 5º capítulo em Avô com forte apelo à defesa do mundo rural.

Mais de 1700 medronheiros foram plantados só no decorrer deste ano, no concelho de Oliveira do Hospital. O número foi avançado pelo presidente da Câmara Municipal, José Carlos Alexandrino, durante o 5º capítulo da Confraria do Medronho que se realizou em Avô, tendo sido marcada pela entrada de três novos confrades, todos eles com ligações ao setor da floresta e desenvolvimento do mundo rural. Uma cerimónia singela, mas pontuada por intervenções relevantes sobre a predominância deste arbusto e do seu fruto na região da Beira Serra, que culimaram com a informação da parte do Município de que terão sido distribuídos pela mancha florestal do concelho várias centenas de árvores desta espécie, no âmbito das ações “Plantar Portugal”, no concelho de Oliveira. “Sem querer fazer concorrência a Tábua (onde a confraria tem sede) também demos desta forma o nosso contributo”, afirmou o autarca, lembrando que o concelho tem vários locais onde está presente o medronheiro, nomeadamente o jardim em frente aos paços do concelho. Consciente da importância destes eventos para a promoção dos produtos endógenos e das potencialidades locais, José Carlos Alexandrino garante que, nesta matéria, “o Município de Oliveira tem feito a sua obrigação”, até porque, acredita que hoje nada se consegue vender sem uma “marca”. Além do medronheiro, existente com alguma abundância por todo o concelho, o edil referiu ainda outro projeto que a autarquia está a desenvolver, com a colaboração da associação CAULE, para a limpeza das margens dos rios, que tem também como objetivo a conservação das espécies autóctones desta região. Bióloga e confreira da Confraria do Medronho, Raquel Campos Alves, proferiu uma lição de sapiência precisamente sobre as galerias ripícolas e a importância da sua defesa não só em termos de equilíbrio do próprio ecossistema, como da prevenção de incêndios e cheias. Mordomo -mor da Confraria do Medronho, José Vasco de Campos destacou as atuais utilizações do medronho – desde a confeção de licores e aguardentes, compotas, aos arranjos ornamentais – entendendo que a Confraria vem fazendo um caminho no sentido de “valorizar o medronho e trazê-lo para a praça pública”.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.