Oliveira avança com programa “Município Perto de Si”

Folha do Centro - Oliveira avança com programa “Município Perto de Si”

José Carlos Alexandrino fez balanço da obra feita em S. Sebastião da Feira, e anuncia criação de balcão de apoio para “substituir” junta de freguesia.

A Câmara de Oliveira do Hospital deverá avançar em breve com a criação de um posto de atendimento nas freguesias, que no caso das freguesias que vão ser agregadas, poderá substituir a própria Junta. A ideia foi deixada pelo presidente da autarquia, José Carlos Alexandrino, em mais uma ação de assinatura de protocolos de cooperação entre o Município e as Juntas de Freguesia, que desta vez teve como palco S. Sebastião da Feira.
Uma freguesia que com a nova lei de reorganização do território deverá desaparecer do mapa autárquico e agregar-se com a vizinha Penalva de Alva, facto que voltou a ser duramente criticado quer pelo presidente da Câmara, quer pelo presidente da Junta, Adelino Coelho, que tem vindo a afirmar repetidas vezes que não quer ser o coveiro da sua freguesia. “Embora seja uma das freguesias condenadas, eu recuso-me a ser o coveiro desta terra e fiz tudo por tudo para que esta freguesia se mantivesse”, afirmou o autarca, que aproveitou a presença do executivo para apelar uma vez mais à resolução dos problemas de saneamento na sua freguesia.
Inconformado com a lei que, a partir de setembro, deverá extinguir a freguesia de S. Sebastião da Feira, Alexandrino não perdeu tempo a gizar um programa que na prática poderá substituir o “apoio” até agora prestado pelas Juntas. “Estamos a pensar colocar um posto de atendimento nas freguesias com uma pessoa permanente, o programa chama-se «Município perto de Si» e a ideia é fazer a ligação com os serviços da Câmara Municipal”, explicou o edil, recusando-se, com o encerramento das Juntas de freguesia, a deixar as pessoas “desprotegidas”.
“As pessoas sobretudo as mais idosas precisam de ter um ponto de apoio, até para evitar a sua deslocação à Câmara Municipal”, referiu Alexandrino, prometendo criar um posto de atendimento em S. Sebastião da Feira, pelo menos três dias por semana, dando ao mesmo tempo “oportunidade a muitos jovens de poderem trabalhar”. “Achamos que as juntas de freguesia são importantes, desempenham um trabalho de proximidade em relação às populações, e por isso, não podemos deixar cair um trabalho que deu muito trabalho a construir às pessoas”, sustentou o presidente da Câmara, comprometendo-se ainda a resolver outros problemas da freguesia, nomeadamente o saneamento básico, que considera da máxima prioridade tendo em conta até que se trata de uma localidade ribeirinha e como tal, muito frequentada por turistas.
“É um problema de impacto ambiental que me envergonha como presidente do Município, mas estamos atentos à resolução destes problemas que considero prioritários”, garantiu o edil, lembrando que a Câmara Municipal paga uma fatura demasiado elevada – cerca de 200 mil euros por mês – às Águas do Zêzere e Côa pela compra da água e do saneamento, que não justificam a permanência deste tipo de problemas. “Não tem sentido termos aqui uma ETAR para tratar os efluentes, e uns metros mais abaixo termos os dejetos a entrar diretamente para o rio, esta é uma obra prioritária”, frisou ainda o presidente da Câmara, considerando uma “aberração” o que se passa com o tratamento dos esgotos na freguesia, por falta de uma estação elevatória no caso de S. Sebastião, e ainda de uma ETAR na Ponte das Três Entradas, onde além do parque de campismo, há também uma unidade hoteleira que está prestes a ser concluída, que aviva a necessidade desta infra estrutura.
Em S. Sebastião da Feira para “dar a cara” pelo trabalho realizado ao longo do mandato pelo seu executivo, Alexandrino contabilizou não apenas o investimento feito na freguesia – e que nesta altura soma mais de 76 mil euros – como prometeu “colocar todo o seu empenho” na concretização de um velho sonho da população de S. Sebastião e do atual presidente da Junta, que é a requalificação do Parque do Moinhos, junto ao rio. “Se for presidente aquele sonho será concretizado, acho que será uma grande obra em termos de impacto e de valorização do próprio vale do Alva”, afirmou o autarca, em mais um périplo pelas freguesias para fazer um balanço da obra feita.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.