Oliveira do Hospital lidera lista dos concelhos com maior número de incêndios florestais

Folha do Centro - Oliveira do Hospital lidera lista dos concelhos com maior número de incêndios florestais

Concelho é o que regista mais ignições no distrito de Coimbra.

Oliveira do Hospital é o concelho do distrito de Coimbra com maior número de ignições por ano, de acordo com o último relatório apresentado pelo coordenador da proteção civil municipal.

Só em 2013 registaram-se um total de 106 incêndios florestais o que, segundo José Carlos Marques, significa que “alguma coisa continua mal”, tendo em conta que a meta a atingir o ano passado seria o máximo de 60 ocorrências. “Estamos no topo do número de ignições que acontecem anualmente a nível distrital”, frisou aquele responsável, na última reunião pública do executivo, enquanto apresentava o Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios.

Um problema que está a preocupar o presidente do executivo camarário e principal responsável pela proteção civil municipal, que garante, entretanto, já ter iniciado um processo de aplicação de coimas de forma a travar o número de incêndios por negligência. A grande maioria dos incêndios não são intencionais, as negligências representam 34% das causas, enquanto 24% dos fogos são provocados por mão criminosa, portanto há aqui grande margem para melhorarmos”, entende o edil, sublinhando a importância de punir os autores de fogueiras e queimadas descontroladas, “nem que seja com coimas pequenas” para “as pessoas ficarem mais sensibilizadas para este problema”. “Se uma pessoa não aplica nada é que isto começa a grassar”, refere Alexandrino, fazendo notar que “este caminho que temos seguido está a dar resultados”. “As pessoas podem ou não assumir as responsabilidades mas nós estamos a aplicar pequenas coimas, dependendo da dimensão dos incêndios”, adianta ainda o autarca oliveirense, esperando com esta “mão mais pesada”, reduzir o número de ocorrências por negligência, na próxima época de incêndios.

Alexandrino deu ainda nota positiva ao trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pela autarquia quer em termos de silvicultura preventiva, quer na área da sensibilização, garantindo que isto tem contribuído para uma maior “operacionalidade” dos meios de combate “como tem sido reconhecido pelos próprios responsáveis nesta área”. “A Câmara Municipal tem feito a sua parte” e hoje “somos um concelho modelo” considera o presidente do Município, para quem o dispositivo de proteção e combate instalado em Oliveira tem sabido dar resposta ao problema.

Com mais uma época de fogos à porta, Alexandrino promete também tomar medidas relativamente à destruição de alguns caminhos florestais, nomeadamente nas freguesias de Aldeias das Dez, Alvoco e S. Gião, por parte de madeireiros que operam nestes locais, deixando muitos residentes sem condições de acesso às suas propriedades. “Estes caminhos custam muito dinheiro ao erário público, por isso, se estragam, devem-nos repor”, refere o autarca, dizendo-se atento a estas situações denunciadas já por vários populares destas freguesias. “Tem sido uma luta com os madeireiros, que estamos a tentar solucionar” acrescentou o coordenador da proteção civil municipal, dando conta de caminhos que ficaram mesmo intransitáveis à passagem de pesados.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.