Oliveira do Hospital recebeu “estrelas” do Basquetebol nacional

Folha do Centro - Oliveira do Hospital recebeu “estrelas” do Basquetebol nacional

Taça Hugo dos Santos disputou-se no Pavilhão Municipal.

Foi um fim de semana em cheio na cidade de Oliveira do Hospital. Nos dias 26 e 27 de janeiro, o pavilhão municipal recebeu um dos torneios mais mediáticos do basquetebol nacional – a Taça Hugo dos Santos – que colocou em campo as quatro equipas melhor classificadas no final da primeira volta da Liga Profissional: Benfica, CAB Madeira, Académica e Ovarense. De fora da competição, ficou a equipa da “casa”– o Sampaense Basket, que apesar de ser uma das equipas de topo a nível nacional, não conseguiu estar entre as quatro melhores, ficando na assim na retaguarda do evento, em parceria com o Município oliveirense.
O programa da prova foi divulgado em conferência de imprensa, e foi considerado pela organização de “extrema relevância” para Oliveira do Hospital, que apesar de ser uma cidade pequena do interior tem já um longo historial ligado ao basquete. “Foi com muito agrado que recebemos a notícia que este torneio se iria realizar aqui”, realçou o presidente da Sociedade Recreativa Lealdade Sampaense, lembrando o percurso de mais de duas décadas do basquete nesta região. Vice presidente da Federação Portuguesa de Basquetebol e antigo dirigente do Sampaense, Vítor Duarte, não tem dúvidas que o evento foi um “ponto alto”para Oliveira do Hospital e para uma modalidade que “está muito implantada no concelho”. Além disso, sublinhou o dirigente desportivo, “esta Taça tem o nome de um oliveirense – o general Hugo dos Santos – que foi um homem que deu muito ao basquetebol português”.
Figura durante vários anos ligada ao Sampaense, Vítor Duarte, explica que a realização deste evento em Oliveira do Hospital é o resultado de um “casamento entre duas vontades”: por um lado, o facto do concelho não receber, desde os anos 90, nenhuma prova desta envergadura, e por outro “a recetividade do presidente da Câmara, que acarinhou esta competição e mostrou vontade que esta fosse realizada este ano no concelho. “Penso que Oliveira está a dar mais um contributo para que esta modalidade não morra no Interior”, afirmou, aproveitando para desafiar o presidente do Município a acolher novamente este evento no próximo ano.

Investimento para dar “vida” à cidade

Um repto que contou com a total abertura do autarca, José Carlos Alexandrino, que se mostrou disponível a “equacionar a possibilidade de contratar este evento num período de 3/ 4 anos”. “Acho que é um desafio interessante, na medida em que a realização destes eventos é importante para darmos vida ao concelho e à cidade”, considerou o edil, para quem o investimento num “conjunto de eventos tem esse objetivo claro de dar vida à cidade”. “Parece-me que foi um bom negócio, porque se trata de uma verba reduzida em relação àquilo que o concelho espera receber”, acredita o edil, que aproveitou os dois dias de transmissão televisiva para promover outro grande cartaz de Oliveira do Hospital, como é a feira do queijo que se realiza a 9 e 10 de março. Alexandrino deu nota ainda do esforço financeiro da autarquia para, num tempo de dificuldades, manter esta modalidade ao mais alto nível. Um investimento que a secção de basquete do Sampaense reconhece e que, de alguma forma quer diminuir, apostando nas camadas de formação, de forma a “em vez dos 11 profissionais que não são de Oliveira, termosmais alguns jogadores locais”, afirmou Pedro Veloso. O convívio mini basquete, integrado no programa, teve aliás como objetivo captar mais jovens para “as nossas equipas”, afirmou o mesmo dirigente, esperando desta forma retirar “dividendos” da presença das estrelas do basquetebol nacional.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.