Oliveirenses solidários com bombeiro que ficou tetraplégico

Folha do Centro - Oliveirenses solidários com bombeiro que ficou tetraplégico

Empresas e particulares ajudam na compra de uma nova cadeira de rodas elétrica.

19 anos depois de um dos mais graves acidentes da história dos Bombeiros de Oliveira do Hospital, Tó Guilherme, o bombeiro que ficou tetraplégico na sequência do despiste da viatura em que seguia com mais seis colegas para combater um incêndio na zona de Ervedal da Beira acaba de adquirir, com a ajuda dos oliveirenses, uma nova cadeira de rodas elétrica. Um equipamento, à semelhança daquele em que se faz transportar atualmente, que lhe vai permitir uma maior qualidade de vida e outra mobilidade, e para o qual tem contribuído a solidariedade dos oliveirenses, que mais uma vez foram sensíveis ao apelo lançado pelo bombeiro acidentado, comparticipando até ao momento cerca de metade do montante necessário para pagar a totalidade da cadeira que ronda os 11.700 euros.

Tó Guilherme lembra-se como se fosse hoje. O toque da sirene, a hora a que saiu do quartel para o combate a um incêndio que já lavrava na zona de Ervedal da Beira “eram duas e meia da tarde”, e a viatura em que seguiu prontamente com outros bombeiros, com quem ainda hoje diz “trocar algumas impressões”, na tentativa de encontrar explicações para o fatídico despiste de 20 de setembro de 1994 junto à Ponte do Cobral. A viatura captou a fazer a curva depois de uma descida acentuada até à ponte, um soldado da paz teve morte imediata, e ele, ficou gravemente ferido. “Não mexia nada” ter-lhe-ão relatado mais tarde os colegas que o transportaram do local para os Hospitais da Universidade de Coimbra.  Seguiu-se uma longa recuperação, primeiro em Coimbra, depois no Alcoitão, mas o destino estava traçado. (leia mais na edição impressa)

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.