Politécnico de Coimbra quer instalações próprias para escola superior de Oliveira do Hospital

Folha do Centro - 111 alunos entraram na primeira fase na ESTGOH

O Instituto Politécnico de Coimbra (IPC) quer aproveitar o início do próximo quadro comunitário para construir instalações próprias e a residência da Escola Superior de Oliveira do Hospital, que o ano passado recusou alunos por falta de alojamento.

A Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital (ESTGOH) existe há quase 20 anos, “mas ainda não tem instalações próprias”, disse o presidente do IPC, Jorge Conde, que falava aos jornalistas à margem de uma visita do ministro Manuel Heitor ao Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC), que faz parte do Politécnico.

Nesse sentido, Jorge Conde abordou o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior para que se possam encontrar “pontes entre a região e o Governo central” de forma a ser garantido o financiamento necessário para a ESTGOH ter instalações próprias, bem como capacidade de alojamento dos estudantes que optam por aquela escola.

“No ano passado, Oliveira do Hospital deixou de matricular alguns alunos por falta de alojamento. A escola precisa de crescer, precisa de mais 200 alunos do que aqueles que tem para ser economicamente sustentável. Mas, para isso, é preciso que haja residências e novas instalações para a escola ser atrativa”, defendeu.

Nesse sentido, o presidente do IPC aponta para a possibilidade de financiamento de fundos comunitários, numa parceria com a autarquia de Oliveira do Hospital, que adquiriu  inclusivamente um terreno para o efeito, há mais de uma década.

“Gostaríamos de ter as coisas prontas para o próximo quadro comunitário”, avançou Jorge Conde, respondendo assim a uma reivindicação antiga da escola e da própria autarquia que é a construção de um edifício de raiz para a ESTGOH.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.