PS conquista maior vitória de sempre em Oliveira do Hospital

Folha do Centro - PS conquista maior vitória de sempre em Oliveira do Hospital

Lista liderada por José Carlos Alexandrino foi ao sexto vereador, “varrendo” praticamente do mapa autárquico concelhio o PSD, que elegeu apenas um vereador à Câmara Municipal.

Foi a noite de uma vitória anunciada a de José Carlos Alexandrino e do Partido Socialista em Oliveira do Hospital que, no passado dia 29 de setembro, conquistaram uma maioria avassaladora no concelho, com a soma de seis eleitos para a Câmara Municipal contra um do PSD. Uma vitória mais que expressiva que arrastou largas centenas de pessoas até à sede de campanha do PS, onde cedo se começou a festejar a reeleção de Alexandrino e da sua equipa.
Ao todo o PS conquistou 8379 votos para a Câmara Municipal, assegurando igualmente por larga maioria, a recondução de António Lopes com 7795 votos. Já o PSD sofre a mais estrondosa derrota de sempre no concelho ao não ir além dos 2714 votos, enquanto a candidatura do CDS/PP ficou pelos 512 votos, tendo aumentado, todavia, a votação em relação há oito anos, conseguindo a eleição de um representante à Assembleia Municipal. A CDU, por sua vez, conquista 394 votos e segura um dos seus “bastiões” – Meruge, que volta a ficar sobre a liderança de Aníbal Correia.
A noite foi de euforia nas ruas da cidade com centenas de oliveirenses a comemorarem uma vitória que apesar de esperada, não deixou de supreender o próprio PS e José Carlos Alexandrino que admite que os resultados “ultrapassaram todas as fronteiras”. “É o reconhecimento do nosso percurso e o resultado de uma campanha feita de calúnia por parte dos nossos adversários do PSD”, afirmou o presidente reeleito, não tendo dúvidas que os oliveirenses penalizaram a cabeça de lista social democrata , Cristina Oliveira, pelas “decisões erradas que prejudicaram o nosso concelho”, nomeadamente na questão da fusão de agrupamentos de escolas, enquanto diretora regional de educação. “Têm aqui o resultado da campanha que fizeram”, considerou ainda Alexandrino, que apesar ter sido felicitado pela sua principal adversária, entende que esta corrida autárquica deixou “marcas” que “não era bem issoque eu queria”.
Com uma maioria aboslutamente histórica, o PS ganha em toda a linha no concelho, conquistando 13 das 16 juntas de freguesia do concelho, sendo que duas delas – Travanca de Lagos e a União de Freguesias de Lagos e Lajeosa, foram ganhas por movimentos independentes. Ou seja, o PSD que, até 2009, deteve sempre a maioria das Juntas de Freguesia do concelho, é o partido que sofre a mais pesada derrota, perdendo todos mandatos, o que nunca tinha acontecido na história do partido em Oliveira. Um resultado que deixou as hostes laranja completamente “desfeitas”, com Cristina Oliveira a admitir que não era esta votação que estava à espera. “As pessoas não votaram, não acreditaram que esta candidatura pudesse mudar o concelho”, conclui a candidata do PSD, não escondendo a desilusão com o forte desaire eleitoral. Apesar da derrota estrondosa, Cristina Oliveira deixou a garantia de assumir o mandato de vereadora na Câmara Municipal, considerando “estar de consciência tranquila de ter feito tudo a bem da democracia”. A única vereadora eleita pelo PSD não disfarçou a desolação com os resultados nas freguesias , onde “as pessoas que encabeçavam as nossas listas eram excelentes profissionais”, afirmou, parca em comentários à maioria avassaladora conquistada pelo PS.
Também o CDS/PP e o seu cabeça de lista à Câmara, José Vasco de Campos, admitiu ter ficado aquém das expectativas, atribuindo os resultados da sua candidatura à conjuntura nacional e à tendencia de penalização dos partidos do Governo. Ainda assim, o CDS/PP quebra o jejum de 12 anos na Assembleia Municipal, elegendo Luis Lagos com 735 votos, votação que não era alcançada desde 2001 pelo partido. Um CDS que ficou ainda a um “passo” de conquistar a Junta de Alvoco das Várzeas, com a candidura encabeçada por Raquel Alves a ficar a uma distância de 9 votos do único adversário, o PS, tendo ainda conseguido eleger dois elementos à Assembleia de Freguesia de S.Gião.
Já o cabeça de lista da CDU, João Dinis, se congratula pela maioria absoluta reconquistada na freguesia de Meruge, onde, na sua opinião, a populaçãovoltou “a reconhecer o impressionante trabalho da CDU e dos seus eleitos”.
João Dinis destaca igualmente a os resultados positivos alcançados na agora União de Freguesias de Ervedal e Vila Franca da Beira, onde a CDU tem três eleitos da nova Assembleia de Freguesia da União de Freguesias – onde o PS fica com maioria absoluta “apenas” por 25 votos de diferença. Também na mesa de voto da freguesia de Vila Franca da Beira que foi “agregada” à freguesia de Ervedal, a CDU tem a maior vitória de sempre, e a maior percentagem – 75% – de sempre, reforça o cabeça de lista comunista, para quem o novo executivo da União de Freguesias de Ervedal e Vila Franca deve “respeitar a vontade” expressa, nas urnas, pelas populações e ter em conta a representatividade da CDU.

Resultados Autárquicas

Abstenção: 34%

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.