PSD diz que Assembleia Municipal virou “órgão espetáculo”

PSD Duarte

Críticas à atuação do órgão máximo do concelho.

O presidente da Comissão Politica Concelhia do PSD, António Duarte, não poupa criticas à atuação do presidente da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital, e acusa-o de promover tudo “menos o debate” de “questões sérias” e de interesse para o concelho. António Duarte falava durante uma conferência de imprensa na sede do partido, onde desferiu mais um duro ataque aos órgãos municipais e aos seus dirigentes, lamentando, nomeadamente, que o presidente da Câmara afine pelo mesmo diapasão, desviando constantemente o debate para a “esfera político partidária” e para o “fait diver”.
“Trata-se de uma atuação pouco digna que afasta os munícipes e os próprios eleitos”, acusou o líder local do PSD para quem a Assembleia Municipal de Oliveira está transformada, pura e simplesmente, num “órgão espetáculo”, onde se “acicatam os ânimos” e se dá azo à “agressividade” e à “falta de verdade”. Duarte entende que foi assim com o debate sobre a reorganização das freguesias, que redundou “na perda de mais duas freguesias do que seria de contar” se a AM se pronunciasse, e voltou a verificar-se nesta última reunião com a discussão em torno da proposta da DREC de reorganização escolar no concelho.
Neste caso, o presidente da Concelhia não deixa de lamentar a “campanha insidiosa” contra os organismos regionais, quando “a história” dos mega agrupamentos não é exatamente como veio a público, ou seja, de que a DREC é que propôs a constituição de um único mega agrupamento, sem articular com os estudos realizados no âmbito do projeto educativo local, entretanto encomendado pela Câmara Municipal. “O que está aqui subjacente é o sistema corporativo que o senhor presidente quer salvaguardar, e nós temos de perguntar o que é que determinados agrupamentos estão a fazer em prol da educação e da política local”, questiona Duarte, lamentando o “ataque inusitado” à diretora regional na última Assembleia Municipal . “Isto para não falar do prolongamento dos trabalhos com discussões estéreis que mais não visam que impedir uma discussão séria”, atacou o líder laranja, voltando a criticar o executivo socialista de falta de capacidade de execução, e de “preferir continuar no plano das intenções” e da “simpatia artificial”.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.