Rede de Aldeias de Montanha aposta na valorização da sua autenticidade

Reunião ADIRAM

A Direção e a Assembleia Geral da ADIRAM – Associação para o Desenvolvimento Integrado da Rede de Aldeias de Montanha, entidade gestora da Rede de Aldeias de Montanha, aprovaram o Plano de Atividades/Ação para este ano. O documento foi aprovado durante a reunião, que decorreu em Alvoco das Várzeas, uma das 41 Aldeias de Montanha.

Com mais de meio milhão de euros, o Plano de Atividades é focado na execução do Plano de Animação e Eventos co-financiados através da Estratégia de Eficiência Coletiva PROVERE/iNature – Turismo em Áreas Classificadas, assumindo como um dos principais eixos, o reforço da estratégia de comunicação para a valorização do património ambiental e as vivências das comunidades sediadas nas Aldeias de Montanha.

No âmbito do plano de animação da rede destaque também para a necessidade de criar estruturas de animação permanentes e também de sinalética própria que permita, facilmente, identificar as mais de quatro dezenas Aldeias de Montanha. Trata-se de um plano de rigor, adaptado às disponibilidades financeiras da parceria, como foi defendido pelas estruturas diretivas, sem perder a visão de futuro com novos projetos, de que é exemplo o projeto “Valorizar o Património Ambiental da Serra da Estrela e Promover a Transição para a Economia Circular nas Aldeias de Montanha” a implementar no âmbito do Fundo Ambiental e da candidatura ao Programa Valorizar.

Refira-se ainda que será dado igualmente, especial atenção às oportunidades no âmbito da reprogramação do Programa Operacional Regional Centro 2020 e é Portugal 2020, de forma a dotar a ADIRAM de instrumentos que amplifiquem a projeção da marca Aldeias de Montanha, apostando no que “de mais genuíno e autêntico as aldeias têm para oferecer”.

No encontro, José Francisco Rolo, presidente da direção da ADIRAM, disse ainda que embora a execução das atividades da rede esteja acima da média da execução do iNature, a nível global, apelou “a todos os promotores para a necessidade de melhorar o nível de execução das ações e atrair mais visitantes para as Aldeias de Montanha – há motivos de sobra para vir descobrir”.         Notando que o flagelo dos incêndios de outubro passado atrasaram e mesmo impossibilitaram a execução de ações programadas, os responsáveis defendem que é altura de preparar o futuro, “apostando na aceleração da dinamização da rede e no reforço da afirmação da marca Aldeias de Montanha, há espaços e experiências únicas para proporcionar ais visitantes”.

“Afirmar e dar visibilidade à Rede e à marca, bem como a aposta no turismo solidário, amigo das gentes e do território de montanha” são objetivos que a ADIRAM assume como prioritários para este ano, como afirmou José Francisco Rolo, que explicou que o “enfoque dos novos projetos dizem respeito a projetos para toda a rede e a ações  de maior escala, supramunicipais, pelo que as novas candidaturas e objetivos para 2018/2019 se enquadram nos objetivos da ADIRAM”, que congrega 41 aldeias de nove municípios: Oliveira do Hospital, Seia, Gouveia, Manteigas, Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Guarda, Covilhã e Fundão.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.