Formar Futuros

Daniel Dinis Costa


DANIEL DINIS COSTA 2013

Lembra a alguém juntar quase 3000 alunos e 5 antigos agrupamentos, dispersos entre si por dezenas de kms? Não me parece que seja esta a melhor forma de melhorar a qualidade do ensino em Oliveira do Hospital.

O título é o slogan que a Eptoliva está a utilizar para marcar os 25 anos de existência enquanto Escola Profissional de referência na região, o que deve ser motivo de orgulho para todos os que ao longo deste 25 anos por lá passaram e por lá continuam. A todos o nosso sincero agradecimento.

“Formar Futuros” foi também o mote para falarmos sobre Educação, mas sobretudo para falarmos de futuro. Dos vários futuros que vamos criando no dia-a-dia.

E deixem-me que vos diga. Pessoalmente acho que o papel da escola pública tem sido muito desvalorizado pelos sucessivos governantes nacionais. E não o digo por dizer. Basta olhar para aquilo que é a escola hoje e perceber que os números substituíram as pessoas. Os alunos são números estatísticos, para juntar em turmas gigantes. Os professores vão diminuindo ano após ano e cada vez com maior instabilidade quanto ao local onde vão dar aulas. Desmotivados pela burocracia que é hoje a escola. Mas também já sabemos que a fórmula matemática é simples. Quanto menos professores tivermos, menos despesa temos. Quanto menos funcionários nas escolas, menos despesa temos. Quanto menos escolas abertas, menos despesas temos. O problema é que estas contas dão um resultado negativo. E o resultado negativo é a diminuição da qualidade do ensino.

O que realmente se tornou maior, foi a megalomania dos mega-agrupamentos. No nosso concelho, que tanto lutou contra estas imposições, mas que nada pôde fazer contra a ditadura dos cortes na Educação, impuseram-nos um mega-agrupamento, que é dos maiores do país em termos de alunos. Lembra a alguém juntar quase 3000 alunos e 5 antigos agrupamentos, dispersos entre si por dezenas de kms? Não me parece que seja esta a melhor forma de melhorar a qualidade do ensino em Oliveira do Hospital. Pessoalmente acho que ainda é tempo de, em conjunto, colocarmos na agenda a reavaliação do mega-agrupamento em Oliveira do Hospital. Será principalmente uma forma de voltar a aproximar as escolas das pessoas. Temos condições e gente para termos um projeto diferente e inovador.

Oliveira do Hospital, também na Educação, tem sido um exemplo de resistência às imposições do estado. Temos uma Câmara Municipal atenta, interventiva, em que o maior investimento do orçamento municipal é canalizado para a Educação e Formação profissional. Temos hoje no nosso concelho uma escola a tempo inteiro e uma escola para todos. Desde os primeiros meses até à idade que quiserem estudar. Desde a creche ao pré-escolar, desde o 1º ciclo ao secundário, desde o ensino profissional ao ensino superior, desde mestrados até à Universidade sénior.

Temos alunos de excelência que são reconhecidos pelo seu mérito escolar, como aconteceu no feriado municipal. O sucesso destes alunos é fruto de muito estudo, muito trabalho e certamente muita vontade de vencer na vida. Mas o sucesso dos alunos é sempre o sucesso das escolas e do ensino. O sucesso dos alunos é também o resultado do apoio e sacrifício de todos os pais e encarregados de educação. O sucesso dos alunos é também obviamente reflexo da qualidade e da dedicação dos professores que diariamente dão o seu melhor em prol dos alunos.

E o futuro da Educação também passa por reaprender a ensinar. A Educação tem que ser diferente daquela que muitos de nós tivemos. Dou-vos o exemplo de algo muito positivo que a CIM de Coimbra tem feito, em conjunto com os municípios e com as escolas. É o concurso de empreendedorismo, que a Eptoliva mais uma vez ganhou este ano. Quem assiste à apresentação dos projetos e à forma como os alunos e professores trabalham em conjunto, percebe que este é um dos caminhos para motivar os alunos. Mas devemos também acompanhar a evolução dos tempos e aplicar nas escolas, nada mais nem nada menos que aquilo que fazemos no dia-a-dia. Qual é hoje a principal fonte de conhecimento de um jovem? Que o acompanha dia e noite? Hoje num qualquer telemóvel ou tablet, temos toda a informação que queremos. Muitas vezes até informação a mais e informação errada. Mas a verdade é que a escola tem hoje que saber evoluir de encontro às suas necessidades. Não me assustaria que o uso destas novas tecnologias fosse hoje um instrumento de aprendizagem em sala de aula, como qualquer outro. Não me assustaria que os currículos fossem adaptados às necessidades de cada aluno e de cada concelho. É preciso que o estado em vez de dar só competências na Educação, dê mais autonomia e mais dinheiro às escolas, às freguesias, aos municípios, para poderem fazer bem aquilo que o estado muitas vezes não faz.

Esta é apenas a minha visão como professor. Não é a visão do ensino profissional, ou do ensino regular, não é a visão do ensino público ou do privado. É a visão de uma Educação em que os alunos, os pais, os professores, têm a motivação e as condições para terem um ensino de qualidade.

Porque é a nossa Educação que nos define como pessoas. E é como pessoas que eu gostaria que os nossos alunos continuassem a ser educados. Para podermos continuar a Formar Futuros. Que serão os Futuros de todos Nós.

Obrigado pela paciência e boa leitura.

Daniel Dinis Costa

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.