1 ano depois

Daniel Dinis Costa


DANIEL DINIS COSTA 2013Este é o tempo do trabalho. Todos são poucos. Vamos manter o espírito solidário que se espalhou por todo o país e vamos todos contribuir para continuar a fazer renascer Oliveira do Hospital. Sem bandeiras políticas, Sem bandeiras pessoais, com a noção de que aquilo que estamos a fazer hoje, nunca ninguém teve que fazer. 

Outubro de 2017 foi provavelmente o pior mês da história de Oliveira do Hospital. É impossível não recordar o trágico incêndio que nos assolou e que deixou marcas profundas nas nossas populações. E a principal marca foi a perda de vidas humanas e o sofrimento daqueles que ficaram gravemente feridos nos incêndios. Para as famílias dos falecidos e para os feridos, uma palavra de coragem e esperança.

Mas 1 ano depois, o que todos querem saber, é o que foi feito para recuperar os danos materiais. As casas, as empresas, as explorações agrícolas, as florestas. E desde logo há coisas que eu não entendo. Alguém acreditava que 1 ano depois estaria tudo resolvido? Alguém acredita que daqui a 1 ano estará tudo resolvido? Eu não acredito. E quem diariamente ouve e tenta resolver alguns dos milhares de problemas provocados pelos incêndios, sabe que não é possível recuperar de uma tragédia destas de um dia para o outro. Para quem perdeu tudo, o tempo parece sempre demasiado. Para quem tenta resolver, o tempo parece sempre pouco.

Mas temos que fazer justiça. Justiça a todos aqueles que tanto trabalharam e continuam a trabalhar para minimizar os estragos provocados. Os Oliveirenses. As pessoas anónimas do nosso concelho. As pessoas anónimas de todo o país. As instituições. As Associações. Os Bombeiros. As empresas. As Freguesias. O Município. A CCDRC. O Governo. Alguém acredita que não exista verdadeira vontade de resolver todos os problemas? Alguém duvida que todos têm tentado dar o seu melhor? Mas ainda subsiste o verdadeiro e eterno problema de muitas pessoas. Nunca nada está bem feito. Nunca nada estará bem feito. Criticar é o mais fácil. Hoje até basta escrever umas coisas nas redes sociais e já parece que fizeram alguma coisa. Basta lançar uns boatos e umas dúvidas na televisão e já temos motivo para pôr em causa o trabalho sério de muitas pessoas.

Pois eu achava que esta tragédia seria um motivo de união de todos os Oliveirenses. Seria a oportunidade de recomeçar e até corrigir o que estava mal. Mas para alguns não. A política da crítica fácil dos partidos da oposição, a sede de protagonismo de uns e o sensacionalismo de outros, são mais importantes do que ajudar a recuperar Oliveira do Hospital.

Infelizmente é o que temos. Mas felizmente temos a grande maioria dos Oliveirenses unidos e com vontade de colaborar naquele que é o maior desafio que já tivemos neste Concelho. É verdade que há muito por fazer. É verdade que há muito que podia ter sido feito melhor. É verdade que o tempo passa rápido e não dá para tudo. Mas também é verdade que, quase metade das casas que foram danificadas total ou parcialmente pelos incêndios, estão recuperadas e as outras em fase de recuperação. Também é verdade que a grande maioria das empresas afectadas já viram as suas candidaturas aprovadas e estão a laborar normalmente. Também é verdade que a grande maioria dos pequenos agricultores já recebeu os apoios a que se candidatou. Também é verdade que não há ninguém desalojado em Oliveira do Hospital. Também é verdade que não há ninguém que não tenha recebido apoio social em Oliveira do Hospital. Também é verdade que o Município de Oliveira do Hospital, todas as Freguesias, as Instituições, os Voluntários, as pessoas anónimas, foram reconhecidas pelo seu empenho, com a unanimidade de todos os partidos com assento na Assembleia Municipal. Por isso, vamos lá deixar de aproveitamentos políticos e de (des)informação sensacionalista.

Este é o tempo do trabalho. Todos são poucos. Vamos manter o espírito solidário que se espalhou por todo o país e vamos todos contribuir para continuar a fazer renascer Oliveira do Hospital. Sem bandeiras políticas, Sem bandeiras pessoais, com a noção de que aquilo que estamos a fazer hoje, nunca ninguém teve que fazer. E por isso, aquilo que todos fizermos hoje, será certamente o mais importante que podemos fazer para o futuro de todos os Oliveirenses.

Obrigado pela paciência e boa leitura.

Daniel Dinis Costa

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.