Tábua chorou morte de jovem bombeiro

Folha do Centro - Tábua chorou morte de jovem bombeiro

Salão dos bombeiros foi pequeno para acolher os muitos familiares e amigos que quiseram prestar a última homenagem a João Mendes, o jovem de 20 anos que perdeu a vida sexta-feira passada num violento acidente de viação próximo da vila tabuense.

O salão dos bombeiros voluntários tabuenses, onde o corpo de João Carlos Mendes esteve ontem à tarde em câmara ardente, antes de seguir, em cortejo fúnebre, para o cemitério de Espadanal, uma pequena aldeia a poucos quilómetros de Tábua, de onde era oriunda a família do malogrado jovem tabuense, falecido na passada sexta-feira na sequência de um trágico acidente de viação, foi pequeno para acolher os muitos familiares, amigos, representantes de várias entidades públicas e conhecidos que quiseram prestar a última homenagem ao jovem bombeiro.

Uma despedida que deixou visivelmente emocionada toda a corporação tabuense, e os muitos jovens que fizeram questão de acompanhar João Carlos Mendes até à sua última morada, pois, apesar do seu curto percurso de vida, eram muitas amizades que cultivou por todas as instituições por onde passou. E não eram poucas. Passou pela «família» do Tourizense, do Desportivo Tabuense, pela Associação Juvenil Tábua XXI, tendo ingressado também nos últimos anos nos Voluntários de Tábua. “Era um jovem muito disponível e sempre bem disposto”, diz quem com ele privou, ao mesmo tempo que lamentava esta morte “tão precoce”.

Na missa de corpo presente, o padre que presidiu à homilia, dizia precisamente que a “morte é sempre absurda, ainda mais quando se trata de um jovem com esta idade”, lembrando também ele “não ter respostas para as perguntas que se levantam dentro de nós numa altura destas”. “Apetece dizer o que Jesus disse do alto da cruz: meu Deus porque me abandonaste”, referiu o pároco, numa tentativa de consolar os corações despedaçados da família, sobretudo dos pais e irmão.

Apesar de “não compreendermos a morte” e muito menos nestas idades, o padre deixou algumas palavras de esperança, nesta “hora de grande dor e desespero”, para que a família a amigos possam encontrar na igreja e no exemplo de Jesus “a força e a coragem” de que necessitam para ultrapassar esta “perda”. “Jesus também quis morrer por aqueles que mais sofrem por isso temos que nos agarrar a ele, que deu a vida por nós, este é o lema dos próprios bombeiros”, aludiu o pároco, pedindo a todos quantos passam por esta “dor maior” para acatarem aquilo que “não podemos evitar na vida”, apesar de muitas vezes incompreensível, como foi a morte deste jovem.

Palavras escutadas em silêncio e enxugadas em muitas lágrimas, naquela que foi uma despedida profundamente dolorosa sobretudo os pais que se encontravam a trabalhar em França quando receberam a noticia, na passada sexta-feira à noite, e os muitos amigos e conhecidos, já que se tratava de uma família muito estimada pelos tabuenses.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.