Tábua com olhos postos na criação de uma companhia de bailado

Folha do Centro - Tábua com olhos postos na criação de uma companhia de bailado

Município assinalou Dia Mundial da Dança com investimento na melhoria das condições para a prática de ballet.

É uma modalidade que está ainda a dar os primeiros passos, mas isso não impede os profissionais e a própria Câmara Municipal de sonharem com a criação de uma Companhia de bailado em Tábua.

A revelação foi feita no Dia Mundial da Dança que foi assinalado, esta terça-feira, no concelho, com o apetrechamento da sala de ballet com equipamento – espelhos e barras – que permite melhorar as condições para a prática desta atividade de expressão corporal. “Era um compromisso que tínhamos com a associação (responsável pela implementação do projeto) de dotar a sala de melhores condições para a prática desta modalidade e achamos que nada melhor do que assinalar o Dia Mundial da Dança com este contributo”, afirmou o vereador do desporto e juventude da Câmara Municipal de Tábua, Ricardo Cruz, não tendo dúvidas que, tal como tem sucedido com outras modalidades desportivas, esta é uma atividade que está a crescer e que tem condições para se afirmar ainda mais no concelho, tendo em conta o esforço que tem sido feito ao nível da autarquia de qualificar as instalações e equipamentos existentes. “Neste caso trata-se de um investimento num projeto que está a nascer, que tem de ter obviamente o seu tempo de maturidade” e para o qual “ajudamos a criar as condições para um aumento da sua prática”, considera o autarca com a tutela do desporto e atividade física, agradado com o projeto mais ambicioso da associação “Adição de Luz”, de querer concentrar em Tábua uma grande escola de dança, com o objetivo de criar futuramente uma companhia de bailado.

“Nós temos aqui meninos que querem seguir a dança, que querem ser bailarinos e assim sabem que aprendem a dançar e que podem seguir a dança em termos futuros”, refere o professor Jorge Ferreira, lamentando que o ballet só agora comece a ter expressão nestas regiões do país, pois até aqui “tem estado muito mal divulgado”. “As principais escolas de dança e os profissionais estão concentrados em Lisboa e no Porto, que se acotovelam uns aos outros por trabalho, esquecendo-se que no interior também se podem fazer coisas boas e que no interior também gostamos de ver espetáculos”, considera o professor de dança, congratulando-se com o investimento da Câmara Municipal nesta modalidade que, segundo diz, tem estado a crescer em número de praticantes. “Este equipamento é uma mais valia”, pelo que “ da nossa parte o que iremos tentar fazer é promover o ballet em Tábua”, garante o bailarino, que acredita no potencial “artístico” do concelho, pois além de ser um local “onde as pessoas são recetivas às nossas atividades”, tem um espaço de excelência para a realização de espetáculos como é o Centro Cultural. “Este equipamento que tem ótimas condições de luz, acústicas e de conforto tem-nos sempre sido cedido”, reconhece ainda o responsável pela implantação do ballet em Tábua e na região da Beira Serra (já a que a associação de que é responsável coordena também o ensino da dança em vários concelhos circunvizinhos).

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.