Tábua comemora em grande 500 anos dos forais manuelinos

Folha do Centro - Tábua comemora em grande 500 anos dos forais manuelinos

Concelho vai “reviver” um verdadeiro regresso ao passado.

A Câmara Municipal de Tábua preparou um programa em “grande” para assinalar os 500 anos dos forais manuelinos do concelho.

Uma efeméride que tem início marcado para dia 10 deste mês nas freguesias de Ázere e Sinde, e que só culminará a 13 de Setembro, data em que será recreada a “chegada do rei” ao concelho para conceder as diversas cartas de foral aos representantes dos “lugares” que, em pleno século 16, tiveram o “privilégio” de obter estes contratos que à época estabeleciam as regras a seguir pelos habitantes entre si e em relação à entidade outorgante.

Em vez de o fazer de forma conjunta, o Município de Tábua decidiu dar outra grandiosidade a estas comemorações, fazendo recreações da atribuição dos forais em todas as localidades onde foram outorgados, tendo ainda preparado um conjunto diversificado de iniciativas com vista a assinalar esta data histórica.

O programa de festas, que se vai desenrolar no próximo meio ano, foi apresentado em conferência de imprensa, altura em que o presidente da Câmara, Mário Loureiro, realçou a importância destas comemorações para “honrar a história”, mas também o “trabalho de todos os antepassados que lutaram por este concelho”.

Também a vereadora da cultura da Câmara Municipal de Tábua, Ana Paula Neves, entende que com estas cerimónias “estamos a cuidar da nossa identidade e da nossa memória coletiva”, apelando por isso ao maior envolvimento possível das populações de cada uma das freguesias, quer através das suas coletividades e grupos culturais, quer individualmente nas festividades que se seguem já a partir da próxima semana. “Gostaríamos que as representações fossem vividas em cada local, como se estivéssemos no século 16. Na altura eram os homens bons que eram inquiridos, e hoje, 500 anos depois, gostaríamos também de reunir as pessoas boas de cada terra”, afirmou a vereadora, na expectativa de todos os tabuenses se associarem a estas comemorações de forma “intensa”. “Pretende-se que o concelho de Tábua viva intensamente como viveu há 500 anos atrás”, considerou, dando nota de alguns dos momentos altos do programa, como é a palestra sobre os forais manuelinos marcada para o dia 28 de abril e que tem, fundamentalmente, como público alvo as escolas. “Queremos também envolver a comunidade educativa, de forma a passar estas comemorações e aquilo que foi a nossa história para os mais novos”, afirmou a autarca responsável pelos pelouros da educação e cultura.

Outro ponto alto do programa serão ainda as jornadas “O Concelho de Tábua nos Forais Manuelinos”, marcadas para maio, no Centro Cultural de Tábua, e que deverão contar com a presença de uma conhecida historiadora e uma das maiores especialistas em Municipalismo em Portugal.

As recreações das inquirições para atribuição dos forais nas diversas freguesias estarão a cargo do conhecido Grupo Viv’Arte, que vai marcar o terminus destas comemorações com a realização de uma feira quinhentista em Tábua, no dia 13 de setembro, no Largo da Câmara Municipal, que será também palco para o outorgamento dos vários forais com os representantes das freguesias. “A maior parte dos concelhos está a fazer estas comemorações nos lugares que hoje são sede de concelho, mas Tábua foi mais longe e vai comemorar estes 500 anos dos forais manuelinos de forma sui generis, não se esquecendo das várias vilas que são hoje freguesias”, observou ainda o historiador e investigador tabuense, Fernando Pais, que está a colaborar com a autarquia na preparação deste programa, preparando-se para lançar mais uma obra sobre o concelho na altura do encerramento das festividades. O historiador destacou, de resto, a importância desta iniciativa para a preservação da memória dos “nossos antepassados”, mas também para as gerações vindouras que “não nos perdoariam se não comemorássemos estas datas”.

 

Acerca do Autor:

. Siga nas redes sociais Twitter / Facebook.